Pacheco rejeita "bravata" de fechamento do STF e cancelamento das eleições

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, durante sessão da Casa em Brasília
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), rechaçou nesta segunda-feira pelas redes sociais qualquer "bravata" sobre o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e o cancelamento das eleições brasileiras.

"Não podemos admitir sequer uma bravata relacionada a fechamento do STF, a cancelamento de eleições, a volta da ditadura militar ou de atos institucionais", disse ele, em publicação no Twitter.

Na semana passada, Pacheco encontrou-se com o presidente do STF, Luiz Fux, e destacou que as instituições têm o dever de dialogar para garantir as eleições e o ambiente democrático.

Na ocasião, o presidente do Senado alertou ainda que se deve evitar uma contaminação do clima pela proximidade das eleições, de forma a evitar o que considera "anomalias", citando ataques a instituições e à democracia, como os ocorridos no 1º de Maio em manifestações de partidários do presidente Jair Bolsonaro.

Pacheco tem dado declarações no sentido de buscar o distensionamento na relação entre os Poderes, em especial diante os ataques de Bolsonaro à cúpula do Poder Judiciário e suspeitas sem evidências que ele levanta há tempos sobre o processo eleitoral.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos