Paciente com Covid-19 incendeia colchão e tenta fugir de hospital em Salvador

JOÃO PEDRO PITOMBO

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Reaberto há cerca de dez dias para o tratamento de pacientes com a Covid-19 em Salvador, o Hospital Espanhol foi atingido por um princípio de incêndio na noite desta terça-feira (5).

De acordo com a secretaria de Saúde da Bahia, o fogo foi causado por um paciente que ateou fogo ao colchão do leite um leito do 4º andar, bloqueou a entrada da porta com a cama e pulou da janela. Ele caiu sob uma laje do 3º andar e foi transferido para outro hospital com uma fratura no fêmur.

O fogo ficou restrito ao quarto e não se espalhou pelos demais leitos do hospital. Ainda assim, outros 32 pacientes tiveram que emergencialmente deslocados para outros três hospitais da cidade.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, afirmou que o paciente teve um suto psicótico, provavelmente causado por um quadro de baixa oxigenação do sangue.

“O paciente não tinha histórico de problemas psiquiátricos. A gente acredita que isso possa estar relacionado com a baixa oxigenação”, explicou o secretário.

O fogo foi debelado após a atuação de sete viaturas do Corpo de Bombeiros. As demais áreas do hospital não foram atingidas. O governo da Bahia informou que irá reparar os danos da enfermaria e apurar as causas e contexto do incêndio.

Até a manhã desta quarta (6), Salvador tinha 2.599 casos confirmados da Covid-19, com 97 mortes.

Este é o segundo caso de paciente com Covid-19 que sofre uma queda após tentar fugir do Hospital Espanhol.

No dia 28 de abril, um paciente com Covid-19 pulou de uma janela do terceiro nadar do hospital, caiu sob laje do refeitório e fugiu no hospital.

De acordo com a assessoria do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde, responsável pela gestão do Espanhol, o paciente foi encontrado no dia seguinte vagando pelas imediações do hospital. Ele tinha escoriações pelo corpo, mas não teve fraturas.

Internado novamente, ele morreu no final do dia por complicações causadas pela Covid-19. De acordo com o hospital, a falta de assistência médica e oxigenação pode ter agravado o quadro da doença.

Nos dois casos, os pacientes romperam as telas de isolamento das janelas. O hospital informou que irá mandar instalar grades nas janelas dos quartos.

Diretor médico do Hospital Espanhol, o infectologista Roberto Badaró afirma que a internação de pacientes com Covid-19, marcada pelo confinamento e falta de comunicação externa, pode resultar em fobias associadas à solidão.

“O paciente que fica em um quarto sozinho, no escuro e enfrentando um quadro dificuldade respiratória, pode ficar desorientado. Isso pode desencadear um desequilíbrio emocional e um surto psicótico”, afirma.

Badaró afirma que, como foi reaberto emergencialmente para tender pacientes na crise, o Hospital Espanhol possui uma boa estrutura de equipamentos médicos, mas ainda não tem uma estrutura adequada para o conforto e distração dos pacientes.

O secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, informou que vai mandar instalar 80 televisões nos leitos do Hospital Espanhol –22 delas já nesta quarta-feira– e determinou que o sistema de wi-fi seja liberado para uso dos pacientes sem necessidade de senha.

O Espanhol foi um dos hospitais privados mais tradicionais de Salvador, mas fechou as portas há cinco anos em meio a uma crise financeira.

Com a pandemia do novo coronavírus, o governo do estado conseguiu na Justiça a desapropriação do espaço e instalou emergencialmente no local 60 leitos para atender pacientes com Covid-19.