Paciente mais velho até hoje fica curado de HIV após transplante de células tronco, dizem pesquisadores

Cerca de 2.880 velas são acesas durante evento do Dia Mundial da Aids em Jacarta

Por Jennifer Rigby

LONDRES (Reuters) - O paciente mais velho até hoje ficou curado do HIV após receber um transplante de células tronco para o tratamento de leucemia, afirmaram pesquisadores nesta quarta-feira.

Embora o transplante tenha sido planejado para o tratamento de leucemia do paciente de 66 anos, os médicos também buscaram um doador que fosse resistente ao vírus que causa a Aids, um mecanismo que funcionou primeiramente na cura do chamado "Paciente de Berlim", Timothy Ray Brown, em 2007.

O paciente mais recente, o quarto a ser curado dessa maneira, é conhecido como "Cidade da Esperança", por conta da instituição norte-americana em Duarte, na Califórnia, onde estava sendo atendido, e porque ele não quis ser identificado.

Além de ser o mais velho, o paciente tinha o HIV há mais tempo, tendo sido diagnosticado em 1988 com o que descreveu como uma "sentença de morte", que matou muitos de seus amigos.

O paciente faz a terapia antirretroviral para controlar sua condição por mais de 30 anos.

Os médicos que apresentaram os dados antes do encontro da Sociedade Internacional da Aids de 2022 disseram que o caso abre um potencial para o acesso dos pacientes mais velhos a tratamentos contra o HIV e câncer sanguíneo, especialmente já que o doador de células-tronco não era um membro de sua família.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos