Paciente morre após fazer cirurgia plástica em BH: 'revolta'

Paciente morre após passar por abdominoplastia. (Foto: GettyImages)
Paciente morre após passar por abdominoplastia. (Foto: GettyImages)
  • Procedimento foi feito em 27 de julho e mulher estava internada até esta terça-feira

  • Marido de paciente conta que procedimento era 'sonho' dele

  • Família fez boletim de ocorrência

Uma cirurgia de abdominoplastia acabou com a morte de uma paciente de 54 anos, em Belo Horizonte, nesta terça-feira (2). Fabíola Corrêa da Silva realizou o procedimento no Hospital da Plástica, na região Centro-Sul da capital mineira, no dia 27 de julho, mas precisou ser transferida para Hospital Odilon Behrens.

O esposo da paciente, André Luiz Ferreira de Souza, conta que a mulher sonhava com a cirurgia.

“Nós pagamos pouco mais de R$ 20 mil pelo procedimento, mas o dinheiro é o de menos, eu pagaria R$ 100 mil para estar com ela de volta. Cansei de brigar com ela para ela não fazer, porque na minha visão, não tinha necessidade. Mas era o sonho dela, ela tem muitas amigas que fizeram, que ficaram ‘fininhas'”, relatou ao portal BHAZ.

Segundo André, o procedimento aconteceu, a princípio, tranquilamente. Fabíola teria conversado com ele, ainda na clínica.

“Ela subiu na maca conversando comigo, me pediu um beijo, disse que estava com saudades. Chegou a janta dela, tomou três colheres de sopa e gelatina e meio copo de água e me disse que estava com muito sono por conta da anestesia”, conta.

Pouco depois, a mulher passou a roncar de uma forma inusual. O marido chegou a questionar o médico, que disse que iria fazer uma avaliação mais tarde. No entanto, quando um enfermeiro entrou no quarto para retirar o soro, as coisas já haviam piorado.

“Quando ele foi aplicar a injeção ela não estava roncando mais. O enfermeiro começou a bater na testa dela e colocou um oxímetro para medir a oxigenação e frequência cardíaca, que estava zerada. Me tiraram às pressas do quarto falando que eu não poderia ver o procedimento. Foi aquela correria, aquela gritaria, falaram que conseguiram reanimá-la e a levaram para o bloco cirúrgico novamente”, disse.

A mulher foi transferida de hospital, onde foi confirmada a morte encefálica. “Foram dois médicos com ela e eu fui atrás com o meu carro. A médica do Odilon Behrens disse que precisava falar comigo em particular e ela começou a me falar que fizeram muitos procedimentos errados, que a Fabíola chegou no hospital já com morte encefálica”, revelou.

“O que fica é um sentimento de revolta, lógico que a gente não tá procurando dinheiro, até porque isso não vai trazer a Fabíola de volta. Mas tem que haver alguma punição para que isso não aconteça com outras pessoas”, lamenta.

Um boletim de ocorrência foi registrado. O corpo de Fabíola foi levado ao IML (Instituto-Médico Legal).

A clínica, por sua vez, nega que houve demora no socorro da vítima. “Ao ser verificado pelo médico plantonista que a paciente estava passando mal, imediatamente, ela foi estabilizada pela equipe médica e cirúrgica e encaminhada por uma ambulância UTI para o Hospital Odilon Behrens com vida”, disse em nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos