Falta de oxigênio: Colapso chega ao Pará e ao menos seis pacientes com Covid-19 morrem asfixiados

·1 minuto de leitura
Foto: Sandro Pereira/Xinhua via Getty
Foto: Sandro Pereira/Xinhua via Getty

Ao menos seis pessoas morreram nas últimas 24h por asfixia em Faro, no Pará. Os óbitos foram confirmados pela prefeitura da cidade. O município vive um colapso na área da saúde com falta de oxigênio e leitos hospitalares por excesso de pacientes internados com Covid-19. A localidade fica na divisa paraense com o Amazonas.

De acordo com o "Estado de S. Paulo”, a situação mais grave é vivida numa comunidade chamada “Nova Maracanã", onde ao eu menos 34 pacientes estão internados. Terra Santa e Nhamundá são cidades vizinhas que também beiram o colapso.

Leia também

Paulo Carvalho (PSD), prefeito de Faro, conseguiu adquirir, segundo o Estadão, 20 balas de oxigênio vindos da cidade de Santarém (PA). O município costumava comprar suprimentos de oxigênio hospitalar de Manaus, mas a situação na capital amazonense segue crítica ajuda do governo federal, estadual, da Venezuela e doações vindas de todo o Brasil.

"Ambas as cidades estão em crise. A demanda é maior que a quantidade, porque a produção está comprometida”, diz Carvalho, referindo-se à crise na empresa White Martins, maior fornecedora de oxigênio hospitalar da região.

Já diante da expectativa de aumento dos internados com a Covid-19, Faro aumento o número de leitos de seis para 30. Ainda assim, pode ser que a estrutura reforçada não dê conta. Ao Estadão, médicos disseram que os insumos podem ser suficientes para apenas dois dias de tratamento dos hospitalizados.

Ainda na semana passada, o governador Helder Barbalho anunciou a proibição de embarcações vindas do Amazonas para o Pará. Segundo ele, a medida era uma tentativa de frear o contágio acelerado do novo coronavírus.