Pacientes de Covid mostram menos sintomas graves, diz ministra britânica da Vacina

·1 min de leitura
Pessoas fazem fila em centro de vacinação contra a Covid-19 em Londres

LONDRES (Reuters) - As pessoas que estão sendo hospitalizadas com a Covid-19 no Reino Unido estão, de maneira geral, mostrando menos sintomas graves do que antes, afirmou a ministra britânica da Vacina nesta terça-feira, acrescentando que não há necessidade para novas restrições neste momento.

O primeiro-ministro Boris Johnson resistiu à ideia de impor medidas rígidas de lockdown na Inglaterra antes do Ano Novo, enquanto a variante Ômicron causa um disparo no número de casos para patamares inéditos.

Embora as hospitalizações estejam em alta, elas não acompanham a trajetória dos números de casos diários, possivelmente refletindo o impacto das vacinas e doses de reforço, a menor gravidade da Ômicron e o intervalo de tempo para que pessoas se dirijam aos hospitais.

"No momento, se você olhar as pessoas que foram hospitalizadas, elas estão entrando com condições menos graves do que antes", afirmou a ministra para Vacinas e Saúde Pública, Maggie Throup, ao canal Sky News, acrescentando que o "Plano B" aplicado por Johnson em dezembro estava funcionando.

"O número de pessoas em leitos hospitalares é cerca de metade do que era há um ano atrás. Isso apenas mostra o poder da vacina."

O epidemiologista Neil Ferguson, do Imperial College de Londres, disse que, embora as infecções em pessoas com menos de 50 anos tenham se estabilizado, a alta incrivelmente brusca nesta faixa etária ainda não teve tempo de espalhar para grupos etários mais velhos, que são mais vulneráveis à Covid-19.

(Reportagem de Guy Faulconbridge e Alistair Smout)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos