Pacientes que recusaram quarentena são indiciados por tentativa de assassinato na África do Sul

Duas pessoas que testaram positivo para o novo coronavírus foram acusadas de tentativa de assassinato após se recusarem a fazer quarentena na África do Sul. A polícia disse que um turista havia sido preso depois que o presidente do país, Cyril Ramaphosa, colocou o país em isolamento. Um empresário de Ladysmith também está sendo investigado, disseram as autoridades.

O jornal  sul-africano"Times Live" relata que os dois homens estão agora no hospital após suas prisões. Um porta-voz da polícia disse que o turista estava sendo investigado por "supostamente não obedecer às instruções de auto quarentena depois de testar positivo com o Covid-19".