Padrasto que espancou e fraturou costelas de menino é encontrado morto em SP

Padrasto que espancou criança foi achado morto - Foto: Getty Images
Padrasto que espancou criança foi achado morto - Foto: Getty Images
  • Padrasto que espancou enteado foi encontrado morto em São Vicente

  • Ele e a esposa foram filmados agredindo a criança de apenas 4 anos

  • O garoto precisou ser internado com oito costelas e um braço fraturados

A Polícia Civil informou nesta quinta-feira (5) que encontrou o corpo do padrasto responsável por espancar o próprio enteado, de 4 anos, ao lado da mãe do garoto em São Vicente, litoral de São Paulo.

A criança teve oito costelas e um braço fraturado, além de diversas lesões pelo corpo e está internada na Santa Casa de Santos. Ela deixou a UTI na última terça-feira (4), mas segue na enfermaria.

Já o padrasto, identificado apenas como Julian, foi localizado morto na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, no bairro Parque das Bandeiras.

De acordo com informações do g1, o homem vestia um casaco cinza, blusa preta e bermuda estampada azul e apresentava marcas de tiros no tórax, no olho direito e nas mãos.

O caso foi registrado como homicídio pela Polícia Civil, que trabalha, agora, para localizar a mãe da criança. Ela continua desaparecida.

Entenda o caso

O menino foi espancado pela mãe e o padrasto no fim do mês passado, durante uma visita da criança à mulher em São Vicente.

Em meio às agressões, a mãe da vítima chegou a gravar um vídeo em que aparece dizendo que o garoto apanhou porque "bagunçou".

"Está rangindo? Tu está rangindo e virando a cabeça? Dentro da minha casa você não vai fazer bagunça. Você não vai fazer bagunça", diz à criança encostada na parede.

Segundo a tia paterna do garoto, Jéssica dos Santos, de 31 anos, o menino vive com o pai e vai para a casa da mãe, junto das irmãs, a cada 15 dias.

No dia 28 de setembro, Jéssica recebeu a notícia de que o sobrinho estava machucado e com diversos hematomas.

"Soubemos que o marido da mãe dele [padrasto] o levou enrolado em um lençol para a casa dos pais dele [pais do padrasto] e que eles tinham levando meu sobrinho para o hospital. Na hora, ficamos perdidos sem entender direito o que estava acontecendo", contou ao g1.