Padre do interior de SP questiona vacinas contra Covid-19 em missa transmitida na TV: 'Cuidado que é só a capa'

Jan Niklas
·3 minuto de leitura
Reprodução

RIO — Em uma homília transmitida na TV Canção Nova, o Padre Elenildo Pereira questionou a compra de vacinas contra a Covid-19 pelo governo brasileiro e afirmou que não tomará um imunizante que não tiver "comprovação científica". O sacerdote disse que não é "contra a vacina", desde que elas passem por "todos os testes possíveis e imagináveis".

Atualmente, no Brasil há duas vacinas que já solicitaram a autorização de uso emergencial à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan; e a AstraZeneca/Universidade de Oxford (Reino Unido), produzida pela Fiocruz.

Na missa realizada na sede da Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP), Padre Elenildo questionou genericamente, sem citar nomes, as vacinas que estão sendo negociadas pelo Ministério da Saúde do governo Jair Bolsonaro. Sem apresentar motivos, ele duvidou da eficácia dos imunizantes, que devem começar a ser aplicados na população ainda este mês.

"Tá vindo aí revestido de coisa boa, chamada de vacina contra o coronavírus. Vindo revestido de uma coisa belíssima: proteção, saúde, salvar vidas. Cuidado que é só a capa, só a capa", afirmou o religioso, que também publicou o trecho do texto em um post no seu Instagram.

"Não estou dizendo que sou contra a vacina, não sou, sendo bem claro. Desde que passe por todos os testes possíveis e imagináveis. Todas as fases necessárias, como qualquer outra vacina. Uma comprovação científica. Aí eu tomarei. Mas enquanto não houver comprovação científica, padre Elenildo não tomará vacina. Não tomarei", declarou, sendo aplaudido pelos fiéis presentes na missa.

Procurada pelo GLOBO, a TV Canção Nova afirmou por meio de nota que, como "comunidade católica, segue os preceitos e as orientações da Igreja, que valoriza a vida desde a concepção até o seu fim último, e já se manifestou favorável às vacinas contra o vírus SarsCov-2, reconhecidas como clinicamente seguras e eficazes".

O texto afirma ainda que a comunidade católica "reconhece e respeita o esforço mundial dos cientistas na busca por uma vacina contra a Covid-19 e não se opõe às conquistas da ciência a favor da vida" e que "eventuais posicionamentos diferentes de seus membros expressam apenas opinião pessoal". Padre Elenildo não retornou ao contato da reportagem até a publicação desta matéria.

Posição contrária à do Papa

Sua posição vai na direção oposta à do Papa Francisco, que anunciou que será vacinado contra a Covid-19 e denunciou, em uma entrevista televisionada, o "negacionismo suicida" daqueles que se opõem a esta ferramenta contra a pandemia.

Na homília transmitida pela Canção Nova, o sacerdote também questiona diretamente o Ministério da Saúde e pede que o governo lhe envie explicações.

"Eu faço até uma pergunta para a vacina que já está aí na praça. Como é que se compra um produto para ser aplicado em milhões de pessoas antes da comprovação científica? Dê um jeito de me encontrar, Ministério da Saúde, me responda essa pergunta", indaga. "Porque a roupagem é sempre essa, tranquila, salvar vidas..."

Seguidores do padre na internet desaprovaram sua declaração e questionaram o seu posicionamento em relação às vacinas contra a Covid-19 na publicação. "Padre, me perdoe, mas reflita sobre seu posicionamento. O senhor é um influenciador", escreveu uma seguidora.

"Gosto muuuito do senhor mas nessa homília foi muito exagerada. Não consegui e troquei de canal. Os padres não podem exercer sua liderança contra a vacina", postou outra.