Padre Júlio Lacelotti recebe prêmio da Câmara dos Deputados

·2 minuto de leitura
Padre Júlio Lancelotti é pároco da paróquia de São Miguel Arcanjo no bairro da Mooca, na cidade de São Paulo. Foto: Reprodução/Instagram
Padre Júlio Lancellotti é pároco da paróquia de São Miguel Arcanjo no bairro da Mooca, na cidade de São Paulo. Foto: Reprodução/Instagram
  • Presbitério trabalha com pessoas em situação de rua na capital paulista

  • Ele recebe o prêmio Zilda Arns, concedido pela defesa da população idosa

  • Padre foi indicado pelo deputado Alexandre Padilha

A Câmara dos Deputados concedeu hoje o prêmio Zilda Arns ao padre Júlio Lacellotti, que trabalha com atendimento a pessoas em situação de rua na cidade de São Paulo.

O prêmio foi criado em 2017 e é concedido a pessoas e instituições que contribuem na defesa dos direitos das pessoas idosas. Uma comissão da Câmara é responsável por selecionar os ganhadores, que receberam um diploma em uma cerimônia no dia 29 de setembro.

Além do presbitério, serão homenageadas Karla Giacomin, Lidiane Charbel Souza Peres, e as instituições Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) e Sociedade Cultural e Beneficente Monsenhor Alonso.

Lancelotti foi indicado pelo deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP). "Ele tem 72 anos e se considera uma pessoa idosa, mas que continua exercendo as atividades na defesa e da dignidade humana, tanto de jovens como também de idosos, crianças, adolescentes, da população em situação de rua e na atividade paroquial de idosos", justificou o deputado na cartilha de nomeações.

Leia também:

Padilha comemorou a premiação no Twitter: "O padre Julio ganhou o merecido prêmio pelo seu trabalho em defesa do direito da população idosa e pelo gigantesco trabalho humanitário que alcança centenas de pessoas que vivem na pobreza".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Para o deputado, a indicação foi possível pelo apoio popular, que promoveu uma petição com 5 mil assinaturas de pessoas que pediam a premiação do padre.

"Meu companheiro, Padre Julio, esse prêmio é teu e de todas e todos que te acompanham nessa luta. O senhor é gigante!", declarou Padilha.

Já em suas redes sociais, padre Júlio compartilhou a notícia com um comentário simples: “grato”.

Ataques recentes ao seu trabalho

No começo de agosto, o padre Júlio Lancellotti foi alvo de críticas por parte da deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP). Ela reclamou das ações feitas pelo padre, que costuma distribuir alimentos e cobertores para dependentes químicos na região da Cracolância, no Centro de São Paulo. Para ela, “a distribuição de alimentos na Cracolândia só ajuda o crime”.

As críticas, no entanto, viraram incentivo para que admiradores do padre Júlio fizessem uma campanha de arrecadação de fundos para a Paróquia São Gabriel Arcanjo. A ação foi apelidada de "pixzaço", em referência ao Pix, instrumento criado pelo Banco Central para facilitar a transferência de dinheiro.

Sem citar Janaína, Júlio Lancellotti agradeceu pelo apoio e reforçou que tem como objetivo ajudar os mais necessitados.

"Nosso objetivo principal não é distribuir comida, mas é ser alimento, força e esperança para aqueles que estão esquecidos, marginalizados, excluídos. Não neguemos o pão nem o coração para ninguém", disse em vídeo publicado nas redes sociais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos