Padre mexicano Marcial Maciel abusou de 60 menores

CIDADE DO MÉXICO - Marcial Maciel, fundador mexicano dos ultra-conservadores Legionários de Cristo, abusou de pelo menos 60 crianças e adolescentes, de acordo com um relatório publicado neste sábado pelo grupo católico. No total, em oito décadas, 175 menores foram abusados sexualmente por pelo menos 33 padres católicos da congregação.

O relatório lista casos de abuso infantil nas últimas oito décadas, implicando 33 padres. Segundo o documento, seis padres morreram sem serem julgados, um foi condenado e outro - sem status de clérigo - está atualmente em julgamento. Não há informações sobre os outros 25.

Também não está claro no relatório os períodos em que os abusos foram cometidos ou a nacionalidade das crianças afetadas.

O documento afirma que para 45 das vítimas, "houve um progresso no caminho institucional de reparação e reconciliação” sem dar detalhes. “Ainda há uma grande necessidade de continuar facilitando esse caminho para outras pessoas.”

Maciel foi afastado pelo Papa Bento XVI em 2006, que ordenou que ele se retirasse para uma vida de oração e penitência depois de anos de acusações de que havia abusado sexualmente de meninos e jovens. O líder religioso morreu dois anos depois, aos 87 anos, sem nunca enfrentar seus acusadores.

"Nunca me envolvi no tipo de comportamento repulsivo que esses homens me acusam", disse Maciel em 2002. Nascido em uma pequena cidade no estado mexicano central de Michoacan, veio de uma tradicional família católica em que dois bisavós haviam sido bispos mexicanos.