Paes assume prefeitura do Rio e determina investigações contra Crivella

·1 minuto de leitura
(29 nov) O então candidato à prefeitura Eduardo Paes comemora após votar no segundo turno das eleições municipais

O novo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, tomou posse nesta sexta-feira, com o anúncio de que lançará investigações diante de denúncias de corrupção envolvendo seu antecessor, o ex-pastor evangélico Marcelo Crivella, aliado do presidente Jair Bolsonaro.

Crivella foi preso no mês passado e afastado do cargo devido às denúncias, mas Paes colocou mais pressão sobre seu rival nas eleições municipais de novembro. Ele aproveitou o primeiro dia no cargo para lançar quatro investigações sobre corrupção e abuso de poder na administração Crivella.

"Nunca na história da cidade do Rio de Janeiro um prefeito recebeu de seu antecessor uma herança tão perversa", disse Paes na cerimônia de posse. As investigações que ordenou irão se concentrar em denúncias de que o governo Crivella obrigou empresas a pagar propina para obterem contratos de obras públicas; de que houve irregularidades na construção de um hospital de campanha para pacientes com Covid-19; de que foram desviados recursos previstos para a aquisição de equipamento de proteção contra a pandemia; e de que dirigia uma operação chamada "Guardiões do Crivella", cuja missão era impedir que a imprensa reportasse o impacto da crise sanitária.

O ex-prefeito Marcelo Crivella negou as acusações e disse que é vítima de perseguição política.

jhb/tly/lda/lb