Paes dá novo prazo para concluir as obras da TransBrasil: 'Dinheiro sempre teve, o que faltou foi competência'

·3 minuto de leitura

A obra do BRT TransBrasil está sendo retomada nesta terça-feira, com previsão de finalização em 2023, de acordo com declaração do prefeito do Rio, Eduardo Paes, durante a cerimônia de apresentação do projeto, que foi paralisado em diversos momentos desde o seu início, em 2014. Para este mês e o próximo, o foco será no retorno das obras em sete estações: Into, Igrejinha, Fiocruz, Parque Vitória, Ramos, Brás de Pina e Parada de Lucas; a fabricação de 5 passarelas em algumas estações; a drenagem ao longo da via; o alargamento de pistas em Coelho Neto, Rio Acari e Barros Filho; e a criação de 3 terminais do BRT (Margaridas, Missões e Deodoro). Outra novidade é a criação do terminal intermodal Gentileza, que ficará na esquina da Avenida Brasil com a Rua São Cristóvão,prevista para iniciar as obras em dezembro deste ano, que terá o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e ônibus convencionais para integração.

— Todo o sistema de BRT será integrado, ou seja, o objetivo é que a TransBrasil se encontre com a Transoeste, a Transolímpica e a Transcarioca. A ideia é que você se desloque para a cidade usando um só sistema de transporte — disse o prefeito, cercado de convidados ligados às obras.

Ao total, 26 quilômetros de obras deverão ser entregues pela prefeitura, e mais de 150 mil pessoas serão beneficiadas, podendo chegar até 250 mil, segundo cálculos oficiais. Além da melhoria para quem passa pelo local, a obra também pretende gerar, direta e indiretamente, mais de 1.500 empregos na região. Até o momento, mais de 500 foram gerados.

Para o secretário municipal de Infraestrutura, Jorge Arraes, a obra mudará a mobilidade urbana da cidade e também do seu entorno:

— Irá afetar o tempo, porque as pessoas vão ter uma mobilidade muito maior por ser um corredor exclusivo, e impactará o trânsito, porque na medida em que a gente estrutura as linhas alimentadoras nos terminais, diminui a quantidade de ônibus para o Centro da cidade, dando mais qualidade de vida para a população.

O projeto da TransBrasil custará para a prefeitura o valor aproximado de R$ 9 milhões. A outra parte será custeada por uma parceria público privada com governo federal. A previsão é que ambos os projetos, tanto do BRT quanto do novo terminal intermodal, custarão, em média, R$ 1,89 bilhão.

— A prefeitura ficará com uma pequena parte do total de gastos. O governo federal arcará com R$ 300 milhões. Dinheiro sempre teve, o que faltou foi competência.

Com nome em homenagem ao profeta Gentileza, famoso personagem do cotidiano carioca que andava pela região, o terminal intermodal será a ponte que liga o BRT a outros modais, como o VLT e os ônibus convencionais. O projeto, pretende estender o veículo leve em cerca de 700 metros a partir da Rodoviária Novo Rio.

— O trabalhador não precisa pagar outra passagem, chega aqui com conforto, integra com o VLT e vai trabalhar. Temos três corredores já implantados. Agora é terminar essa obra e colocar para funcionar — explicou o prefeito.

Para a conclusão da obra, será preciso desapropriar parte do terreno da Ambev e do Gasômetro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos