Paes deve anunciar novas restrições no Rio nesta sexta-feira e deixa aberta a chance de endurecer medidas

Diego Amorim
·2 minuto de leitura

O prefeito Eduardo Paes deve anunciar novas restrições na cidade do Rio de Janeiro nesta sexta-feira, dia 19, após a divulgação de boletim atualizado com dados da Covid-19. Durante a inauguração do Zoológico do município, em São Cristóvão, na Zona Norte, na manhã desta quinta-feira, dia 18, Paes concedeu entrevista coletiva e informou que convocou uma reunião com o Comitê Científico para segunda-feira, dia 22, quando vão analisar os números relacionados ao Coronavírus. O prefeito deixou aberta a possibilidade de endurecer as medidas, mas vai depender das informações que serão repassadas pela Secretaria municipal de Saúde.

O decreto anterior, que passou a valer no dia 5 de março e foi ampliado até a meia-noite de segunda-feira, dia 22. Nele, o horário de funcionamento de bares e restaurantes foi ampliado até as 21h. A decisão da Paes ocorreu dias após a prefeitura brigar e conseguir na Justiça uma liminar que obrigasse os estabelecimentos a respeitarem o horário de fechamento às 17h. No primeiro dia que o decreto entrou em vigor, os estabelecimentos conseguiram uma decisão judicial que permitia o funcionamento até as 20h. Outra liberação foi de serviços nas praias, incluindo ambulantes fixos e itinerantes, até as 17h, o que estava proibido no último decreto.

— Como vínhamos prevendo, há o aumento efetivo dos casos. Continuo atento. O decreto da prefeitura vale até segunda-feira, mas eventualmente a gente deve trazer novas restrições amanhã. Na segunda-feira, eu me reúno com o Comitê Científico. Já pedi ao secretário (de Saúde) Daniel Soranz que monitore os dados, para que tenhamos todas as informações necessárias para orientar a decisão do prefeito na eventualidade de aumentarmos as restrições. Não tem decisão tomada, mas vamos trabalhar para preservar vidas. Esse é o propósito — diz.

Paes conversou com o governador do Rio, Cláudio Castro, na quarta-feira, após o estado anunciar que irá manter medidas de restrições por mais uma semana. O prefeito conta que Castro afirmou que é necessário o apoio dos governos federais e estaduais para que as medidas funcionem de forma efetiva, ainda mais que o município é a maior capital turística do país. O prefeito informou ainda que os hospitais da capital fluminense vão continuar recebendo pacientes de outros lugares, sem distinção.

— Ontem, eu conversei com o governador Claudio Castro e disse a ele que para que uma cidade como o Rio tome medidas deve-se ter um apoio federal e estadual. A cidade do Rio vai tomar suas decisões, mas sempre debatendo com o Estado no que aqui eu vou chamar de "solidariedade metropolitana". Ontem, vi que boa parte das esperas vem de outras cidades da Região Metropolitana, como Nova Iguaçu. A prefeitura do Rio vai continuar com seus hospitais abertos para receber qualquer paciente, sem fazer distinção entre eles — afirma.