Paes diz que vídeo em Angra é falso e brinca que só 'furaria' restrições em Maricá

O Globo
·2 minuto de leitura

RIO - Um vídeo que circula nas redes sociais com supostas imagens do prefeito Eduardo Paes em uma lancha, em Angra dos Reis, chamou a atenção de alguns internautas e do próprio prefeito do Rio, que não demorou para responder. Em uma gravação bem humorada, ele diz que as imagens são falsas, nega que tenha viajado, e afirma que se fosse para furar as próprias restrições iria para Maricá.

"Tem uns bobalhões distribuindo um vídeo de uma imagem de uma lancha em Angra dos Reis, de uns sujeitos deitados lá, curtindo um sol, dizendo que sou eu passando a minha quarentena. Eu tô trabalhando para caramba pelo Rio de Janeiro", disse o prefeito em suas redes sociais, que complementou:

"E quero dar um recado para vocês: se eu tivesse que curtir algum lugar eu não ia para Angra de jeito nenhum, eu ia lá para Maricá. Beijo no coração que a gente tem que trabalhar. Bora vacinar, se cuidem, hein. E se puder fica em casa".

No vídeo que circula, não é possível ver o resto das pessoas que estão na lancha. Além disso, não há como saber quando ele foi filmado ou mesmo o local.

Nesta semana, ele também reagiu com bom humor após a divulgação de que Maricá receberia uma piscina olímpica. Ele repostou a infomação em seu Twitter usando emojis de coração.

Desde o episódio de 2016, quando Paes, durante ligação telefônica com o ex-presidente Lula, chamou o município de Maricá de "uma merda de lugar", o prefeito tenta fazer graça com o episódio. Na época, Paes disse que fez uma brincadeira de mau gosto e foi carioca demais, brincando em excesso.

Recentemente, ele respondeu uma postagem do colunista do GLOBO, Bernardo Mello Franco, sobre a compra de doses pela prefeitura de Maricá, fazendo uma comparação em que a cidade na Região dos Lagos tinha um maior número de vacinas. Na ocasião, Paes escreveu: "Sempre disse isso e nunca endenderam. Já estou em contato com o super Fabiano Horta (prefeito de Maricá) para ver como sigo sua liderança".

A Prefeitura de Maricá anunciou ter fechado acordo com a Rússia para a aquisição de 400 mil doses da vacina Sputnik V. A cidade se incorporou à articulação feita por governadores do Consórcio Nordeste. Segundo Fabiano Horta, desde dezembro o município vinha fazendo tratativas para a aquisição do imunizante desenvolvido pelos russos, ao mesmo tempo em que tentava a compra da vacina Coronavac, fabricada pelo Instituto Butantan a partir de um produto da China.

Para fazer a compra, as prefeituras se baseiam no projeto de lei 534/2021, aprovado no Congresso e sancionado na quarta-feira pelo presidente Jaird Bolsonaro. A lei permite a compra por estados, municípios e pelo setor privado de vacinas contra a Covid-19 com registro ou autorização temporária no Brasil.