Paes explica novas medidas de restrição e diz que fiscalização será por amostragem: 'Não estamos relaxando, estamos fixando regras'

Luiz Ernesto Magalhães
·3 minuto de leitura
Foto: Prefeitura do Rio / Divulgação

O prefeito Eduardo Paes afirmou, nesta quarta-feira, que inicialmente fiscais da prefeitura vão apenas circular pela cidade orientando estabelecimentos comerciais e a população sobre as novas regras de funcionamento de atividades na cidade durante a pandemia do novo coronaívus. Posteriormente, ele diz que quem descumprir poderá ser multado e, no caso do comércio, conforme a irregularidade, podera até mesmo ser fechado.

As declarações foram dadas durante uma reunião com representantes do setor produtivo na sede da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Porto (Cdurp). Para alguns setores como shoppings, indústrias e a rede hoteleira, nada muda. Existe apenas uma orientação conforme o número de novos casos de coronavírus, para que seja ampliado o horário de funcionamento. Mas, por enquanto, trata-se apenas de uma recomendação.

Nesse processo de regulamentação, a rotina da retomada das aulas presenciais da rede pública municipal ficou fora de pauta. O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse que o assunto será discutido com o novo comitê científico da prefeitura, que se reunirá pela primeira vez no proximo dia 18 de janeiro.

— Nós reunimos toda a legislação que já existia, promovendo modificações em conjunto com o Estado, para buscarmos em um tema tão complexo simplificar as regras para compreensão da população. Depois de tantos meses em que regras do estado e da prefeitura não coincidiam, buscamos unificar isso — disse Paes. — A gente pede a colaboração da população, para que sigam as regras básicas: uso de máscaras e higienização das mãos valem sempre para todas as situações.

Paes, que não descarta adotar regras mais severas, caso as orientações, não sejam cumpridas, disse que as ações de conscientização começam na sexta-feira, mas pontuou que a prefeitura não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Ele diz que a fiscalização será feita "por amostragem".

— Se forem necessárias regras mais radicais, nós adotaremos. A cidade tem uma dinâmica. A gente precisa da colaboração da população de qualquer jeito. Não vamos ficar de babá da população. As regras estão estabelecidas e vamos fazer uma fiscalização por amostragem. Você vai escolher bares e boates da cidade em áreas com risco mais alto. É impossível fiscalizar todas as áreas da cidade — disse Paes.

O prefeito também negou que a resolução tenha flexibilizado o isolamento social apesar da autorização para a volta de algumas atividades, como áreas de lazer de condomínios, lazer ao ar livre na orla e estacionamento na praia, que voltam a ser permitidos a partir deste fim de semana.

— A questão é que desde setembro, quando houve uma queda inicial de casos, se teve um relaxamento e ausência de fiscalização que tornou a situação confusa. Estamos trabalhando para trazer regras mais claras. Ano passado, a cada dia as regras mudavam. Não estamos relaxando, estamos fixando regras.

Torcida em estádios descartada e expectativa para o carnaval

O prefeito disse ainda que segue as orientações dos técnicos, mas que vetou a liberação dos estádios de futebol devido ao fato de considerar ser impossível evitar aglomerações durante eventos esportivos, principalmente nas horas de entrada e saída.

— Estádios, pelas suas configurações, com paixões, é um ambiente difícil de controlar — disse.

Paes explicou que a ideia é que medidas mais ou menos restritivas sejam adotadas às segundas feiras. A mudança do status dependerá dos níveis de contaminação da Covid-19 por regiões administrativas, divulgadas todas as sextas feiras. O prefeito reiterou que deseja realizar carnaval em julho, mas que precisa aguardar a evolução da pandemia até lá.