Paes inaugura iluminação especial no sambódromo e faz apelo para foliões respeitarem isolamento no Rio

André Coelho
·1 minuto de leitura

Sem carros alegóricos, baterias e passistas. O palco do "Maior espetáculo da Terra", por onde já estariam desfilando as escolas do Grupo A nesta sexta-feira (12), ganhou uma iluminação especial com as cores das escolas de samba do grupo especial do Carnaval do Rio, em homenagem às vítimas da Covid-19 no mundo do samba. Em vez de passar a chave da cidade ao Rei Momo, o prefeito do Rio Eduardo Paes fez a entrega a duas profissionais de saúde da linha de frente na Marquês de Sapucaí.

Paes lamentou o cancelamento do Carnaval, mas destacou a importância do distanciamento para combater a pandemia na cidade:

— Meu apelo com dor no coração é para que a gente ajude esses profissionais aqui, e tenha amor ao próximo. Evitar aglomerações, não ir a festas, não ter blocos, curtir o Carnaval de uma maneira diferente.

O prefeito afirmou que em 2022 a cidade verá uma das maiores festas da sua história:

— Meu compromisso é que em 2022 vamos fazer o maior Carnaval da história do mundo. Vamos fazer uma celebração inesquecível para compensar esse ano.

Uma das profissionais a receber as chaves da cidade foi a enfermeira Adélia dos Santos, que aplicou a segunda dose da vacina no Rio, no Cristo Redentor, no último dia 18. A técnica de enfermagem Joelma Andrade, ex-passista, também recebeu a chave.

Rei Momo de 2020, Jefferson Mendes da Silva também fez um apelo a todos os foliões:

— Esse um Carnaval de máscara, de álcool gel, dentro da sua casa com a sua família, para não correr riscos — afirmou.

A iluminação especial funcionará todas as noites, até a meia noite, até o próximo dia 20, o "sábado das campeãs".