Paes, Rodrigo Maia, Michelle Bolsonaro e Janja; confira como personalidades da política foram às urnas

Neste domingo, o eleitor vai às urnas para escolher o candidato à Presidência, além de doze estados em que o cargo de governador será decidido no segundo turno. E nas seções eleitorais, além dos eleitores comuns, pessoas públicas — que têm ou tiveram cargos, ou estão ligadas de alguma maneira à vida política — também foram votar pelo Brasil.

No Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes (PSD) votou na Zona Sul da cidade, onde fez o sinal do "L":

— Eu não tenho dúvida nenhuma que o presidente Lula é a melhor alternativa nesse momento, a gente viveu quatro anos de notícia ruim, gente morta pela ausência de governo, a gente precisa eleger um presidente que concilie, que nos una e que possa fazer o Brasil voltar a avançar — disse Paes à imprensa, criticando o presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição.

O deputado federal Rodrigo Maia também votou na capital fluminense, nesta manhã.

Já no Distrito Federal, a primeira-dama Michelle Bolsonaro foi vestida com uma camisa em homenagem a Israel . Em uma foto publicada em rede social, ela escreveu: "Que as bençãos do nosso Deus estejam sobre o Brasil e sobre Israel. Deus, pátria, família e liberdade". Em São Paulo, Rosângela da Silva, a Janja, mulher do candidato à Presidência do PT Luiz Inácio Lula da Silva votou agora em São Paulo. Vestida de branco, a socióloga chegou acompanhada de um grupo de mulheres, entoando um coro de apoio às candidaturas de Lula e Fernando Haddad, que concorre ao governo do estado também pelo PT.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, também foi às urnas nesta manhã, em um colégio na Zona Oeste de São Paulo. Mais cedo, em rede social, ele havia desejado: “um ótimo domingo de eleições, com muita paz, segurança, consciência e esperança”.

Após votar, Moraes seguiu para a Universidade Paulista (Unip), na Zona Sul, para acompanhar um teste de integridade com biometria. Em seguida, o ministro regressa a Brasília, onde concederá entrevista coletiva no Centro de Divulgação das Eleições. À noite, Moraes anunciará o resultado das eleições.

Na disputa pelo governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT) e Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos) votaram nesta manhã. Líder nas pesquisas de intenção de voto, Tarcísio votou em São José dos Campos (SP), acompanhado da esposa, Cristiane e filhos. O candidato a vice-governador, Felicio Ramuth, também marcou presença no local.

Fernando Haddad foi acompanhado da esposa à sua seção eleitoral, na capital paulista. Vestido de branco, assim como Lula votou em São Bernardo do Campo mais cedo, distribuia rosas e era saudado por apoiadores.

Terceiro colocado no primeiro turno, fora do segundo turno, o governador Rodrigo Garcia (PSDB) também votou nesta manhã, na zona Sul de São Paulo.

Entre os presidenciáveis derrotados no primeiro turno, Ciro Gomes (PDT) foi às urnas nesta manhã, em Fortaleza. Sem citar Lula nominalmente, garantiu que votou seguindo a orientação do partido. O PDT anunciou apoio ao candidato petista ainda no começo de outubro.

Em Mato Grosso do Sul, a senadora Simone Tebet (MDB) votou na manhã deste domingo em Campo Grande. A emedebista declarou apoio e participou de eventos de campanha do candidato do Partido dos Trabalhadores Luiz Inácio Lula da Silva.

Conterrânea de Simone, Soraya Thronicke (União Brasil) anunciou que não votará neste domingo:

"Não irei votar neste domingo, pagarei a multa, mas me nego, é um direito que tenho em um país democrático. O Brasil se encontra em uma encruzilhada, o que nos resta é aceitar o resultado das urnas e tocar pra frente. Serei oposição, independentemente do resultado", disse a senadora por meio da sua assessoria.

No dia após o primeiro turno, em uma publicação nas redes sociais, Soraya descartou uma aproximação com Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ou Jair Bolsonaro (PL). A senadora pelo Mato Grosso do Sul recebeu pouco mais de 600 mil votos, o equivalente a 0,51% do total.