Pagamento do 13º salário poderá injetar R$ 250 bilhões na economia do país em 2022

Até dezembro de 2022, o pagamento do 13º salário tem o potencial de injetar na economia brasileira cerca de R$ 249,8 bilhões. Este montante representa quase 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do país e será pago aos trabalhadores do mercado formal, inclusive empregados domésticos com registro em carteira; beneficiários da Previdência Social e aposentados e beneficiários de pensão da União e dos estados e municípios. Aproximadamente 85,5 milhões de brasileiros serão beneficiados com rendimento adicional, em média, de R$ 2.672. As estimativas são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). As datas para pagamento da gratificação natalina são: 30 de novembro (antecipação de 50%) e 20 de dezembro, quando é depoistada a segunda parcela que sofre desconto de impostos, se for o caso.

Desse total de brasileiros que devem ser beneficiados com o pagamento do 13º salário, 52 milhões, ou 61% do total, são trabalhadores do mercado formal, entre eles, os empregados domésticos com carteira de trabalho assinada, que somam 1,4 milhão de pessoas, equivalendo a 0,9% do conjunto de beneficiários. Esse grupo vai receber por volta de R$ 167,6 bilhões.

Os aposentados ou pensionistas da Previdência Social (INSS) correspondem a 32 milhões, ou 20,3% do total, receberão R$ 50,8 bilhões. Aos aposentados e pensionistas da União serão destinados R$ 10,6 bilhões (4,2%); aos aposentados e pensionistas dos estados, R$ 16,2 bilhões (6,5%); e aos aposentados e pensionistas dos regimes próprios dos municípios, R$ 5,2 bilhões.

A parcela mais expressiva do 13º salário (49%) deve ser paga nos estados do Sudeste, região com a maior capacidade econômica do país e que concentra a maioria dos empregos formais e aposentados e pensionistas.

No Sul, devem ser pagos 17,2% do montante e no Nordeste, 20,6%. Já às regiões Centro-Oeste e Norte cabem, respectivamente, 9% e 4,9%. Importante registrar que os beneficiários do Regime Próprio da União receberão 4,2% do montante e podem estar em qualquer região do país.

O maior valor médio para o 13º deve ser pago no Distrito Federal (R$ 4.711) e o menor, no Maranhão e Piauí (R$ 1.818 e R$ 1.867, respectivamente). Essas médias, entretanto, não incluem o pessoal aposentado pelo Regime Próprio dos estados e dos municípios, pois não foi possível obter esses dados.

Para os assalariados formais dos setores público e privado, que correspondem a 50,8 milhões de trabalhadores, excluídos os empregados domésticos, a estimativa é de que R$ 164,8 bilhões serão pagos a título de 13º salário, até o final do ano.

A maior parcela do montante a ser distribuído caberá aos ocupados no setor de serviços (incluindo administração pública), que ficarão com 62,1% do total destinado ao mercado formal; os empregados da indústria receberão 16,4%; os comerciários terão 18,8%; aos que trabalham na construção civil será pago o correspondente a 3,9%, enquanto 4,6% serão recebidos pelos trabalhadores da agropecuária.

Em termos médios, o valor do 13º salário do setor formal corresponde a R$ 3.242. A maior média deve ser paga aos trabalhadores do setor de serviços e equivale a R$ 3.840. A indústria aparece com o segundo valor, equivalente a R$ 3.335. O menor ficará com os trabalhadores do setor primário da economia, R$ 2.050.

Com a perspectiva de um dinheiro a mais neste final do ano, o economista e professor do Ibmec, Gilberto Braga, faz um alerta: embora guardar dinheiro para eventuais necessidades futuras seja fundamental, para quem está endividado, renegociar as dívidas é mais importante do que investir.

— Se estiver com contas em atraso, é válido negociar a dívida e pedir desconto para que possa quitar de forma integral. Se não for possível, tente quitar uma parte e negociar parcelas que realmente caibam no bolso, com juros menores — orienta Braga.

Outra questão pontuada pelo economista são as dívidas que se acumulam:

— Caso tenha parcelamentos no cartão de crédito, é válido ligar para a operadora e tentar um desconto para fazer o pagamento antecipadamente. Assim, você fica mais tranquilo nos meses seguintes.

1. Faça um raio-X da sua vida financeira para saber se tem gastado mais do que o necessário e defina suas prioridades. Pergunte-se: a minha renda é suficiente para pagar as minhas dívidas atuais e as futuras, do início do ano? A partir daí, divida o dinheiro em parcelas e defina o que vai fazer com cada uma delas.

2. Não esqueça de fazer um levantamento do que é realmente necessário: troque planos de telefone, TV por assinatura, economize energia, aproveite dias de promoções nos supermercados. Essa economia, somada ao 1º pode dar um alívio no bolso.

3.Troque as lâmpadas de sua casa por LED. A mudança pode gerar um custo inicial, mas ele será recompensado com a economia nas próximas contas de luz.

4. Início do ano é um momento com muitas despesas, por isso, analise se vai ficar apertado em janeiro. Se a resposta for sim, guarde o dinheiro para pagar IPTU, IPVA e demais impostos.


5. Quem tem filhos em idade escolar pode aproveitar o momento para comprar material necessário para 2021. Se os livros do próximo ano ainda não tiverem sido divulgados, compre cadernos, canetas, mochilas. Aproveite o dinheiro no bolso e as promoções de Black Friday para negociar e comprar mais em conta.

6. O décimo terceiro também pode ser usado para pagar a matrícula escolar ou, até mesmo, algumas mensalidades adiantadas. O dinheiro no bolso é sempre um bom argumento na hora de pedir desconto.

7. Se o seu carro está financiado, ligue para a finaceira ou banco e pergunte se é possível adiantar parcelas pagando menos juros.

8. Também é válido pensar se vai precisar consumir algo em 2023 e compar antes dos preços ficarem mais caros. Um ar-condicionado, por exemplo, é um bom investimento já que no verão os valores costumam subir.

9. Com o orçamento mais apertado devido à crise econômica, o 13º pode ser um alívio no fim do ano. Dividir as despesas da ceia com a família pode ser uma alternativa para não gastar tanto.

10. Com a vida financeira organizada e sem a necessidade de comprar nenhum item com urgência, você pode usar parte desse dinheiro para lazer, por exemplo conhecer um restaurante que nunca foi ou fazer uma viagem bate-volta para uma cidade próxima.