Pagamento sem contato deve ficar entre novos hábitos do consumidor no pós-pandemia

·1 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.02.2019 - Still de mão segurando cédulas de real, moeda oficial brasileira. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.02.2019 - Still de mão segurando cédulas de real, moeda oficial brasileira. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na série de mudanças de hábito que os consumidores adotaram na pandemia, o pagamento sem contato ou com cartão por aproximação parece ter se consolidado no comércio. Atualmente, o método aparece em 8 a cada 10 estabelecimentos, como bares, restaurantes, supermercados e açougues, segundo levantamento realizado pelo Instituto Locomotiva a pedido da VR.

O aumento no uso de cartões com a tecnologia NFC (por aproximação) começou a subir com força logo no início da pandemia, estimulado pelas medidas de distanciamento social e redução do contato com as mãos para tentar evitar o contágio do coronavírus.

Outras formas de pagamento possibilitadas pelo Pix também cresceram: 70% dos entrevistados disponibilizam QR Code aos clientes e 29% enviam links de pagamento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos