Pai de menina baleada diz que moradores foram forçados a apagar imagens de câmeras

Menina de 4 anos é baleada no Rio de Janeiro quando comprava pipoca depois da escola - Foto: Reprodução/TV Globo
Menina de 4 anos é baleada no Rio de Janeiro quando comprava pipoca depois da escola - Foto: Reprodução/TV Globo
  • Alice Rocha foi atingida quando Draco realizava ação no bairro

  • Policiais obrigaram moradores e comerciantes a apagarem os registros, diz pai

  • Menina baleada segue internada em estado grave

O pai da menina Alice Rocha, de 4 anos, que foi baleada na cabeça na tarde desta quarta-feira (1), em Taquara, Zona Oeste do Rio de Janeiro (RJ), afirmou que os moradores e comerciantes da região foram forçados a apagar imagens de câmeras de segurança por agentes da Draco (Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais).

“No local, os moradores dizem que os policiais mandaram apagar as imagens. Se eles não têm culpa, por que mandaram apagar as imagens? Quem não deve não teme”, declarou o pizzaiolo Lucas Soares Medeiros, de 24 anos, pai de Alice, ao jornal Extra.

Alice Rocha foi baleada na cabeça na saída da escola quando comprava pipoca com a mãe. A menina foi atingida durante um confronto entre policiais e criminosos.

A criança recebeu os primeiros atendimentos na UPA da Taquara e, transferida, passou por uma cirurgia ao longo da madrugada desta quinta-feira (02), no Hospital Municipal Miguel Couto e seu estado de saúde é considerado gravíssimo.

De acordo com a Polícia Civil, o tiroteio ocorreu quando agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco) foram verificar uma denúncia de extorsão.

Ainda de acordo com a Civil, ao chegar ao local, a equipe foi atacada por criminosos, e houve confronto. O tiroteio aconteceu na Rua André Rocha, perto do viaduto de acesso à Transolímpica.

Após o fim da confusão, moradores da região informaram que uma criança tinha sido baleada. A instituição disse ainda que uma pessoa foi presa e uma pistola e um carro roubado foram apreendidos. A ocorrência segue em andamento.

Criança segue internada em estado grave

A Secretaria Municipal de Saúde afirmou que o estado de Alice é gravíssimo. Na manhã desta quinta-feira (2), familiares revelaram que o quadro da garota, no entanto, é “estável, com os sinais vitais bons e não teve alteração” depois que ela passou por uma cirurgia.

“A gente sabe que cada passo é importante. Esse é um pesadelo. Mas a minha neta é de muita fé. Ela pede para a gente colocar louvor. Ela sempre pergunta se pode ter três amores: as duas avós e Deus. Ela é uma criança de muita garra e de muita fé. Eu creio que Deus está agindo e ela vai sair dessa”, disse a avó da garota, a técnica de enfermagem Elaine Soares Medeiros de Souza Mariano, de 44 anos, ao jornal Extra.

Enquanto isso, o pai da vítima segue com esperanças em sua recuperação. “É como se fosse um pesadelo que está sendo difícil de acordar, mas, graças a Deus, ela está estável. Logo, logo ela vai tá em casa com a gente. Eu só quero acordar desse pesadelo”, lamentou. “Por toda a comunidade, é uma criança muito querida por todos.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos