Pai de Dr. Jairinho volta a se pronunciar na Alerj e cita o poeta Mário Quintana: 'Eles passarão, nós passarinho'

·2 minuto de leitura

RIO — Quase um mês depois de ter voltado à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), graças às mudanças no secretariado do governador Cláudio Castro (PL), o deputado estadual Coronel Jairo (Solidariedade) voltou a se pronunciar em uma sessão da Casa. A fala dele aconteceu menos de 24 horas depois da cassação do mandato do seu filho, Dr. Jairinho (sem partido), na Câmara dos Vereadores. Coronel Jairo não mencionou as acusações que pairam sobre Jairinho, mas agradeceu ao deputado Luiz Paulo pelo apoio "no momento difícil que tem vivido".

— Hoje, vivendo esse problema que vivo, tenho certeza de que esse plano midiático e falso se renderá à Justiça e à verdade -- afirmou, antes de citar versos do poema "Todos contra esse aí", de autoria de Mário Quintana. "Esses que aí estão/atravancando o meu caminho/eles passarão/ nós passarinho"— finalizou.

O espaço para que Coronel Jairo voltasse à Alerj foi aberto com a ida de Rodrigo Bacellar (Solidariedade) para a Secretaria de Governo. Ele era o primeiro suplente da coligação formada por Solidariedade e PTB, em 2018. Preso em novembro de 2018 pela Operação Furna da Onça, sob suspeita de participar de um esquema de venda de votos na Alerj e distribuição de cargos públicos, Coronel Jairo havia recebido 24.620 votos no mês anterior.

O resultado não foi o suficiente para se reeleger, mas ele garantiu a primeira suplência. Desde dezembro de 2019, Coronel Jairo está solto graças a um habeas corpus e não tem impedimentos legais para assumir o cargo. O filho dele, Dr.Jairinho, foi expulso do Solidariedade e cassado na Câmara, acusado de homicídio junto com a mulher, a professora Monique Medeiros, mãe de Henry Borel, de 4 anos.

PM e ex-deputado estadual, coronel Jairo mantém influência política na Zona Oeste. Ele foi um dos parlamentares investigados na CPI das milícias em 2008, que pediu o indiciamento de mais de 200 pessoas acusadas de envolvimento com grupos paramilitares. Coronel Jairo foi citado como um dos líderes da maior milícia do Rio na época. Mas nada se provou contra ele.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos