Pai e avô 'alugavam' crianças para serem violentadas por pedófilos

O PM reformado Pedro Chavarry é acusado de participar dos estupros (Foto: Reprodução)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Estupros aconteciam em casas abandonadas e locais de encontro para apreciadores de carros antigos

  • Vítima reconheceu PM já condenado por abuso de criança de 2 anos

Por cerca de três anos, duas crianças foram ‘agenciadas’ pelo próprio pai e pelo avô para serem estupradas por um grupo de pedófilos. O caso foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, que aponta que os irmãos eram conduzidos com os olhos vendados e a boca coberta com fita adesiva a locais de encontro de apreciadores de carros antigos e duas casas abandonadas na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde aconteciam os abusos.

As investigações da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) começaram quando uma das vítimas reconheceu o coronel reformado da Polícia Militar Pedro Chavarry Duarte, de 62 anos, condenado pelo estupro de uma criança de dois anos. Ao ver a notícia da prisão na televisão, a criança revelou que já havia sido estuprada pelo PM. Um parente, então, procurou a delegacia.

Leia também

O DCAV apurou que os irmãos eram estuprados pelo pai e o avô dentro da casa da família, na residência do avô e no carro do pai. Depois, eles passaram a cobrar dinheiro para que outros homens abusassem das crianças. Segundo depoimentos de testemunhas, o avô filmava os estupros. As vítimas eram ameaçadas e apanhavam para que não contassem sobre os crimes, que aconteciam desde, pelo menos, 2016.

Exame de corpo de delito realizado no Instituto Médico Legal constatou que a criança que reconheceu Chavarry já não era mais virgem, e já havia sofrido agressões. Em 2016, o coronel foi flagrado em seu carro com uma menina de dois anos nua e com a calcinha revirada.

Ele já foi condenado pelo crime, mais ainda faz parte da Polícia Militar e em agosto recebeu um salário de R$ 34 mil brutos. Somente em abril dese ano a PM concluiu o processo disciplinar contra Chavarry e pediu a sua demissão. Agora, o desligamento do coronel depende de um Conselho de Justificação na Justiça.

No total, o MP estadual denunciou 11 homens por estupro de vulnerável. Nove deles já foram presos, e dois estão foragidos.