Pai e filho americanos que ajudaram Carlos Ghosn a escapar são condenados no Japão

·1 minuto de leitura

TÓQUIO - Dois americanos foram condenados à prisão nesta segunda-feira por ajudarem o ex-presidente da Nissan Carlos Ghosn a fugir do Japão em 2019. Na ocasião, em 2019, Ghosn estava em liberdade condicional sob fiança à espera de um julgamento em Tóquio por suposta fraude financeira, e estava proibido de sair do país.

O Tribunal Distrital de Tóquio sentenciou o ex-militar Michael Taylor, 60, a dois anos de prisão e seu filho Peter, 28, a um ano e oito meses de detenção. A pena máxima no Japão por auxiliar um criminoso a escapar é de três anos.

Mais informações em instantes

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos