Pai encontra cocaína debaixo do colchão do filho de 14 anos e o entrega à polícia

·2 min de leitura
Pai encontrou 13 papelotes de cocaína embaixo do colchão do filho (Getty Creative)
Pai encontrou 13 papelotes de cocaína embaixo do colchão do filho (Getty Creative)
  • Filho prestou depoimento e aguarda audiência de custódia

  • Adolescente disse que iria vender cocaína, avaliada em R$ 700

  • Pai disse que está com a consciência tranquila após denúncia

Geraldo Moreira Bastos entregou o filho, de 14 anos, à Polícia Militar nesse domingo (17) após encontrar 13 papelotes de cocaína debaixo do colchão de casa no município de Carmo do Cajuru, em Minas Gerais.

“Fiz isso para o bem dele. Não podia deixar que ele entrasse para este mundo do crime sem fazer nada”, declarou o pai ao jornal Aqui.

Segundo Bastos, as suspeitas sobre o comportamento do filho começaram em janeiro deste ano, quando percebeu que o adolescente mudou a forma de agir com os familiares e passou a andar com “más companhias”.

Há cerca de duas semanas, as desconfianças de que o adolescente estava envolvido com o crime aumentaram quando uma balança de precisão foi encontrada no quarto do menino.

“Quando eu e meu genro encontramos essa balança, meu filho disse que um conhecido tinha pedido para ele guardar. Só que eu sentia que não era só isso”, explicou o pai.

Assim que encontrou os papelotes de cocaína, Bastos chamou o genro e mais um vizinho e, assim que o filho retornou para casa, levou o adolescente até a sede da Polícia Militar.

“Não tive outra alternativa. Ia fazer o quê, esperar que ele se afundasse ainda mais nessa sujeira? Aprendi que tudo o que um homem fizer, seja coisa boa ou ruim, ele tem que assumir. Vai ser assim com ele também”, ponderou.

Depoimento

O adolescente, que não tinha antecedentes criminais, disse à polícia que pegou a droga para vender e que a quantidade que ele tinha estava avaliada em R$ 700. Deste valor, ele disse que ficaria com R$ 200 como pagamento.

O filho de Bastos foi encaminhado para a delegacia de Divinópolis, também na região Centro-Oeste de Minas Gerais, onde a ocorrência foi registrada.

O Conselho Tutelar foi acionado e o adolescente está sob os cuidados da entidade até uma audiência de custódia, marcada para essa terça-feira (19), definir quais medidas serão aplicadas ao adolescente.

O pai disse estar tranquilo e de consciência limpa. “Faria tudo novamente e quero apenas que ele aprenda com essa lição para mudar tudo o que está errado na vida dele”, disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos