Pai de Henry chama Jairinho de 'monstro' e questiona reação da mãe após relato de agressões: 'Poderíamos ter feito algo'

Vera Araújo
·2 minuto de leitura

Leniel Borel ainda está sem chão. Um mês depois de perder o filho Henry Borel Medeiros, de 4 anos, ele viu a prisão do médico e vereador Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho, e da ex-mulher dele, Monique Medeiros da Costa e Silva, por suposto envolvimento na morte da criança, como um passo para a elucidação do caso. No entanto, ele não entende como Monique, com quem passou 10 anos casado, pode ter participado de algo contra o próprio filho. Quanto a Jairinho, ele só tem uma definição: "Monstro".

Leia mais: Babá disse à mãe que Henry estava 'mancando' após ter ficado no quarto com Dr. Jairinho
- Ele é um monstro! De tudo que ouvi nessas últimas quatro semanas sobre as ex-mulheres do Jairinho, além dos fatos de hoje, eu só o defino como um monstro, psicopata - disse Leniel.

Ele lembra que a primeira vez que foi buscar o filho com Monique, no apartamento de Jairinho, no condomínio Majestic, na Barra, em janeiro deste ano, Henry reclamou dos abraços fortes. Na época, Leniel cobrou Monique pelo relato, mas ela disse ser fruto da imaginação da criança, por conta da separação do casal.
- A Monique está muito mudada. Eu sempre lembrava dela como uma mãe presente, tentando ensinar o que há de bom. Ela virou outra pessoa quando se juntou ao Jairinho, principalmente na parte afetiva com meu filho. Ela sempre foi protetora. A partir do momento que vi o desenrolar das investigações até hoje, percebo que ela passou a esquecer do nosso filho para viver um romance, sei lá. Não consigo entender. E agora? Como vou ficar sem meu filho? - desabafou o pai do menino.

Ao saber que Monique, a babá e a avó sabiam que algo estava acontecendo de errado com Henry, ele não se conforma.

- Poderíamos ter feito algo! Por que não me contaram? - pergunta ele.