Pai de Henry denuncia fake com 20 mil seguidores que pede doações e vende quadros do menino: 'Conduta criminosa'

·1 minuto de leitura

Leniel Borel de Almeida, pai do menino Henry Borel, de 4 anos, morto em março deste ano no apartamento onde morava com a mãe, Monique Medeiros, e o padrasto, vereador Dr. Jairinho, foi às redes sociais neste sábado denunciar um perfil fake no Instasgram que usa o seu nome e a sua foto para pedir doações e vender quadros com a imagem do menino. A página tem 20,9 mil seguidores, enquanto a original, do pai de Henry, tem mais de 490 mil.

"Lamentavelmente há um perfil fake cometendo condutas desrespeitosas e criminosas. Sem nenhum envolvimento da minha parte, esse perfil está anunciando a venda de quadros com a imagem do Henry, além de pedir doações. Por favor, não contribuam!!! Peço ajuda de todos para denunciar", escreveu Leniel esta tarde.

No perfil, o fraudador chega a se apresentar como "Pai do Henry Borel (In Memorian)". Após o post feito por Leniel, ele não mudou as descrições — assim como o nome de Leniel e a foto dele com o filho —, mas fez um story definindo-se como "Perfil de apoio".

"Quem quiser adquirir um quadro com a foto do Henry Borel, o quadro vai assinado por mim e chega por via Sedex, a procura está muito grande, obrigado a todos que estão comprando", escreveu num post feito nesta sexta-feira (25), que teve os comentários bloqueados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos