Painel australiano da pandemia apoia reabertura apesar de surto em Sydney

·1 minuto de leitura
Primeiro-ministro australiano, Scott Morrison

Por Renju Jose

SYDNEY (Reuters) - A Austrália pode seguir adiante com seus planos de reabertura quando o país chegar a níveis de vacinação de 70% a 80%, disse o painel de projeções de pandemia do governo, apesar de alguns Estados terem dado a entender que podem não relaxar restrições nas fronteiras se Sydney não controlar seu surto da variante Delta.

Sediado em Melbourne, o Instituto Doherty disse que o foco do país deve se voltar de sua estratégia atual de zero casos para a limitação das mortes e hospitalizações de Covid-19 quando ao menos 70% da população acima dos 16 anos estiver totalmente vacinada.

"Este nível de vacinação tornará mais fácil conviver com o vírus, como fazemos com outros vírus, como o da gripe", disse a entidade em um comunicado na noite de segunda-feira. "Assim que chegarmos a 70% de cobertura vacinal, abrir com dezenas ou centenas de casos nacionalmente por dia é possível."

Atualmente, 30% da população australiana adulta está totalmente vacinada e 53% recebeu ao menos uma dose.

Em julho, o país apresentou um plano de quatro estágios para recuperar liberdades maiores com taxas de vacinação mais altas, mas Queensland e Estados do oeste sinalizaram que podem não se ater ao acordo, já que este foi delineado quando os números de casos de Sydney estavam muito mais baixos.

O primeiro-ministro, Scott Morrison, reconheceu a preocupação de alguns Estados com o surto de Sydney, mas disse que "lockdowns eternos" farão mais mal do que bem ao país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos