Painel da ONU que investiga crimes de guerra na Ucrânia diz não ter conseguido contato com Rússia

Exumação de corpos de uma vala comum no distrito de Bucha, na Ucrânia

Por Max Hunder

KIEV (Reuters) - Uma comissão da ONU criada para investigar possíveis crimes de guerra na Ucrânia durante a invasão russa disse nesta quarta-feira que ainda não conseguiu estabelecer contato com a Rússia.

Erik Mose, que lidera o painel independente, afirmou em entrevista coletiva durante uma visita a Kiev que os esforços para iniciar o diálogo com a missão da Rússia em Genebra "não tiveram sucesso", mas que a comissão continuará tentando fazer contato.

A comissão foi criada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU, com sede em Genebra, para investigar supostos abusos de direitos humanos e do direito internacional humanitário durante a invasão lançada em 24 de fevereiro.

Mose disse que é muito cedo para discutir detalhes das evidências coletadas em Kiev, nas cidades de Kharkiv e Sumy, e nas cidades de Irpin e Bucha, onde a Ucrânia diz que a Rússia cometeu atrocidades em larga escala. A Rússia nega as acusações.

"Em Bucha e Irpin, a comissão recebeu informações sobre assassinatos arbitrários de civis, destruição e saques de propriedades, bem como ataques à infraestrutura civil, incluindo escolas", afirmou Mose.

O Tribunal Penal Internacional abriu um inquérito separado sobre supostos crimes de guerra e crimes contra a humanidade na Ucrânia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos