Pais acampam em frente a escola para tentar transferência; alguns passaram Réveillon no local

ALFREDO HENRIQUE
SÃO PAULO, SP, 03.01.2020 - ESCOLA-SP - Pais formam fila em frente à Escola Estadual José Geraldo de Lima, na zona sul da capital paulista, desde a madrugada desta sexta-feira (3), para tentar transferir matriculas dos filhos para a instituição. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Alguns pais de alunos acamparam por seis dias para tentar transferir as matrículas dos filhos para a Escola Estadual José Geraldo de Lima, na região do Socorro (zona sul da capital paulista). Para garantir a vaga, passaram a virada do ano em frente à unidade, que oferece ensino em período integral.

Desde o último dia 28, alguns pais acampam no local, para serem os primeiros a realizar as inscrições para as transferências, que começam nesta sexta (3) e terminam no próximo dia 8. 

A segurança Patrícia Barreto, de 42 anos, chegou em frente à unidade de ensino por volta das 4h40 desta sexta. Ela pretende transferir o filho, de 14 anos, para que ele estude no local.

"Essa escola é referência. Sabemos que a qualidade do ensino dela é melhor do que a média, ainda mais que o aluno fica lá o dia todo estudando", afirmou. 

Ela foi atendida por volta das 10h, quando preencheu documentos solicitando a transferência de matrícula do filho, que já tem vaga garantida na escola que frequentou em 2019, caso não consiga se transferir para a José Geraldo de Lima. 

A diarista Maria Alves da Cruz, 39 anos, já tem uma filha, de 15 anos, matriculada na unidade. Mas ela chegou ao local, por volta das 5h40 desta sexta, para que o filho, de 10 anos, também possa estudar na unidade. 

"Minha filha melhorou dez vezes mais, desde que entrou nessa escola. Ela conseguiu uma vaga no começo do ano passado. Só de ver a evolução dela, quero que o irmão também estude na mesma escola", afirmou. 

Os estudantes que conseguirem a transferência serão informados pela instituição de ensino no próximo dia 14.

RESPOSTA

Segundo a Secretaria de Educação, gestão João Doria (PSDB), não é necessário formar filas em frente às escolas, pois as matrículas "estão garantidas para todos os alunos que desejarem uma vaga na rede estadual", diz trecho de nota. 

A reportagem apurou que são priorizados estudantes que residam mais perto das unidades para as quais queiram transferência.  

A pasta acrescentou que 417 escolas ofereciam ensino em período integral, em todo o estado, no ano passado. Para este ano, 247 aderiram a este modelo de ensino, totalizando 664 unidades.