Pais de Eloá lamentam morte por Covid-19 de mulher que recebeu coração da filha

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Eloá (à direita) ao lado da amiga Nayara - Foto: Arquivo Pessoal
Eloá (à direita) ao lado da amiga Nayara - Foto: Arquivo Pessoal
  • Maria Augusta recebeu em 2008 o coração de Eloá Cristina

  • A mulher, de 51 anos, morreu segunda-feira (3) de Covid-19

  • Eloá foi vítima de um crime que chocou o Brasil, ao ser assassinada por um ex-namorado

Maria Augusta da Silva Anjos tornou-se mais uma vítima fatal da Covid-19 no Brasil na última segunda-feira. A mulher de 51 anos carregava desde 2008 o coração de Eloá Cristina da Silva Pimentel, garota cuja morte chocou o país naquele ano.

De acordo com a família de Maria Augusta ao G1, a transplantada estava internada em um hospital em Parauapebas, no Pará, por conta de complicações do vírus. Ela era casada e vivia em Canaã dos Carajás, no interior do estado.

Leia também

A morte da mulher abalou também a família de Eloá que viram o coração que um dia foi da filha parar de bater pela segunda vez.

"Eu não esperava essa notícia. Eu estava torcendo para Augusta se recuperar. Para mim foi muito triste. Minha família, meus filhos estão tristes. Até porque amanhã (quarta-feira) minha filha Eloá faria 28 anos se estivesse viva. Augusta era como uma filha para mim também, pois ela carregava o coração de Eloá", declarou ao G1 Ana Cristina Pimentel.

Maria Augusta havia recebido o coração da jovem - Foto: Reprodução
Maria Augusta havia recebido o coração da jovem - Foto: Reprodução

O ocorrido também foi lamentado pelo pai de Eloá, Everaldo Pereira do Santos. "Ficamos sabendo e lamentamos o falecimento da Maria Augusta. E continuamos sofrendo, pois a nossa Eloá completaria ano amanhã, dia 5 de maio."

Crime abalou o país há 13 anos

Eloá tinha 15 anos quando foi morta por seu ex-namorado Lindemberg Alves Fernandes, em outubro de 2008. Ela foi sequestrada pelo rapaz e ficou sob seu domínio por cerca de 100 horas, das quais boa parte foi transmitida ao vivo por canais de televisão.

Lindemberg, de 22 anos, não aceitava o término da relação com a jovem e, ao fim dos quatro dias de sequestro, baleou a ex-namorada. Eloá não resistiu ao tiro e teve morte cerebral declarada no dia 18 daquele mês.