Pais e professores relatam surto de Covid em escola da zona norte de SP

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Professores e pais de alunos denunciam possível surto de casos de Covid-19 na EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Theo Dutra, na zona norte da capital paulista.

Segundo o relato de dois professores, um pai e uma mãe ouvidos pelo Agora, da Folha de S.Paulo, pelo menos cinco alunos testaram positivo para a doença na última semana e há a suspeita de outros casos.

Os docentes e as famílias dos alunos revelam preocupação e reclamam de falta de atitude da direção da escola. Eles afirmam que nem alunos nem profissionais que tiveram contato com as crianças que contraíram a doença foram afastados.

A escola, que fica na Vila Penteado, atende alunos do primeiro ao nono ano do ensino fundamental e, segundo pais e professores, já registrou casos de Covid-19 em outros meses de 2021 e também não tomou medidas como o afastamento das pessoas que tiveram contato com os positivados.

Um morador da região, pai de uma aluna do primeiro ano, conta que a filha chegou em casa na quarta-feira (8) contando que uma colega de sala tinha testado positivo para a doença. Ele ficou preocupado e decidiu ir à escola no dia seguinte.

Na secretaria, foi informado que a direção já tinha ciência do caso da garota e que, infelizmente, não poderiam fazer nada, segundo o morador, que que decidiu não mandar a filha para a escola desde então para evitar uma possível contaminação.

Um dos professores disse que há relatos de alunos que testaram positivo para a Covid-19 do quarto, sétimo e nono anos.

Ainda segundo os professores ouvidos pela reportagem, membros do corpo docente da escola cobraram medidas da diretoria, que afirmou ter entrado em contato com a Diretoria de Ensino. A orientação recebida por eles seria para manter a conduta de afastar apenas as crianças que testassem positivo.

Uma mãe, que tem duas filhas estudando na escola, também afirma saber de novos casos confirmados na semana passada. Segundo ela, os pais demonstram preocupação nas conversas em um grupo no WhatsApp. A notícia de mais uma criança doente é sempre comunicada de um pai para outro, nunca pela escola.

Ela afirma que já tentou entrar em contato com a direção da EMEF algumas vezes, mas que nunca consegue ser atendida. Quando questiona a funcionária que recebe os alunos na porta da escola sobre a situação, ela ouve como resposta que as crianças devem seguir comparecendo às aulas.

Resposta Questionada sobre a suspeita de surto de casos de Covid-19 na EMEF Theo Dutra e sobre o protocolo que está sendo seguido pela direção da escola, a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, gestão Ricardo Nunes (MDB), afirmou que "os protocolos orientados pela saúde foram seguidos, como o afastamento dos casos que testaram positivo para Covid-19, assim como de seus contactantes".

A pasta afirma também que "segue as orientações das autoridades de Saúde para atendimento presencial na rede. Equipes das duas áreas fazem um trabalho conjunto visando o controle da transmissão da Covid-19 na comunidade escolar. A secretaria monitora as unidades escolares e dá suporte técnico para investigação de casos junto às UBS e Unidades de Vigilância em Saúde".

A gestão municipal também diz que a presença na sala de aula não é obrigatória. Que as escolas estão autorizadas a receber os estudantes de acordo com sua capacidade, desde que mantenham o distanciamento de 1 metro entre um aluno e outro, em sistema de revezamento semanal em no máximo duas turmas. A recomendação é para que as pessoas com qualquer sintoma de Covid-19 procurem auxílio médico e não compareçam à unidade educacional.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos