Países do G7 prometem deixar de importar petróleo russo

Membros do G7 se reuniram neste domingo (8) para debater novas sanções à Rússia. Foto: THIBAULT CAMUS/POOL/AFP/Getty Images.
Membros do G7 se reuniram neste domingo (8) para debater novas sanções à Rússia. Foto: THIBAULT CAMUS/POOL/AFP/Getty Images.
  • O presidente dos Estados Unidos e outros membros do G7 se reuniram com o presidente da Ucrânia neste domingo (8) para discutir sanções contra a Rússia;

  • A reunião foi a terceira realizada por meio de videoconferência em 2022;

  • 8 de maio marca o dia em que europeus comemoram o fim da Segunda Guerra Mundial.

O G7, grupo dos sete países mais industrializados do mundo, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, reuniu-se com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, para se comprometer 'a proibir ou eliminar gradualmente as importações de petróleo russo’.

"Isso será um duro golpe para a principal artéria da economia do [presidente russo Vladimir] Putin e lhe negará a renda necessária para financiar sua guerra", informou comunicado emitido pela Casa Branca.

Leia também:

A reunião foi a terceira realizada pelo G7 por meio de videoconferência em 2022. O encontro virtual aconteceu em uma data simbólica, pois 8 de maio marca o dia em que europeus comemoram o fim da Segunda Guerra Mundial. O dia posterior, 9 de maio, simboliza a vitória da União Soviética sobre a Alemanha nazista.

Quanto ao embargos, até o momento, grande parte das nações do ocidente demonstrou uma logística muito parecida de sanções à Rússia. Contudo, tais imposições não ganharam o mesmo impulso quando o tema se voltou para o petróleo e gás russos.

Enquanto os Estados Unidos não são notáveis consumidores do petróleo da Rússia, países da União Europeia são mais dependentes do combustível fóssil.

*Com informações da AFP.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos