Palestino é morto a tiros em confronto com forças israelenses na Cisjordânia, dizem palestinos

Por Emily Rose

JERUSALÉM (Reuters) - Um palestino foi morto a tiros na madrugada desta quinta-feira durante incursões israelenses noturnas no campo de refugiados de Qalandia, na Cisjordânia ocupada, disse o Ministério da Saúde palestino.

A Cisjordânia, uma das áreas que os palestinos buscam para um Estado independente, tem observado uma onda de violência desde que Israel intensificou as operações em resposta a uma série de ataques públicos nas suas cidades no ano passado.

Embora os militares israelenses não tenham confirmado a morte, eles disseram que estavam operando em vários locais na Cisjordânia, realizando prisões e confiscando armas. Enquanto estavam em Qalandia, disseram os militares, foram atacados por moradores locais e responderam com métodos de dispersão e uso de fogo real.

"Durante a atividade, os suspeitos atiraram pedras e blocos de telhados mirando os soldados que operavam em baixo, colocando em risco suas vidas", disse um comunicado militar. "Os soldados responderam com meios de dispersão de tumultos e munição real."

Nabil Abu Rudeineh, porta-voz do presidente palestino, Mahmoud Abbas, disse que os palestinos começarão a tomar "ações mais decisivas" para confrontar as operações israelenses em curso, mas sem entrar em detalhes.

Seis palestinos foram mortos em ataques nas duas primeiras semanas de 2023, incluindo três adolescentes, segundo autoridades palestinas. Nenhum soldado israelense foi morto nas operações.

Israel diz que as incursões são uma medida de segurança que visa militantes suspeitos. Os palestinos consideram os ataques uma forma de punição coletiva e dizem estarem lutando contra décadas de ocupação israelense.

(Reportagem de Emily Rose e Ali Sawafta)