Palm Beach pede a Trump que pague por suas visitas ou deixe de ir

Por Leila MACOR
1 / 2
Veículo transporta o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para sua residência em Mar-a-Lago, na Flórida, em 18 de março de 2017

Desde que Donald Trump assumiu a Presidência dos Estados Unidos e transformou sua mansão na Flórida sua "Casa Branca de Inverno", as autoridades locais lhe pediram que reembolse o custo de suas visitas ao condado de Palm Beach. Agora, lhe pedem que pague ou pare de ir.

"Entendemos que o presidente queira vir aqui. É um paraíso, certo?" - disse a congressista pela Flórida Lois Frankel durante coletiva de imprensa em frente ao jardim do clube de Trump.

"O que pedimos, novamente, é que nos ajude a conseguir um reembolso para este condado e para esta cidade".

Ou, ao invés de ir para seu clube de golfe e residência particular de Mar-a-Lago, em Palm Beach, Trump "poderia ir para Camp David e limitar os gastos em nossa zona", sugeriu.

Frankel é apoiada por Jeri Muoio, prefeita de West Palm Beach. Durante "os fins de semana que o presidente está aqui", disse a funcionária na segunda-feira, "a polícia e os bombeiros têm que trabalhar [com contingente de] 120%. Isto significa mais contratações e pagamentos de horas extras".

Cada vez que Trump vai à Flórida, as autoridades fecham o espaço aéreo, cortam a passagem de algumas estradas, enviam os serviços especiais e lidam com manifestantes a favor e contra o presidente.

E se ele planeja continuar indo a Mar-a-Lago com a frequência que tem ido, o condado necessitará de fundos para se defender de ciberataques e se preparar para evitar e responder ataques terroristas.

E para completar, "Trump e uma grande delegação chinesa estarão aqui na semana que vem", disse nesta terça-feira à AFP Paulete Burdick, prefeita de Palm Beach.

Embora Burdick e outras autoridades tenham pedido há dois meses que o governo federal reembolse os altos gastos das visitas de Trump, até agora "não soubemos de nada deles", lamentou a funcionária.

O encontro Trump-Xi em Mar-a-Lago custará 280.000 dólares, advertiram os representantes democratas Lois Frankel, Alcee Hastings e Ted Deutch, os três da Flórida, em uma carta enviada na quinta-feira a Trump.

"O condado estima que [durante todo o ano] suas visitas custarão entre 3,3 e 5,8 milhões" de dólares, escreveram os representantes.

Se o governo federal não garantir ao condado de Palm Beach uma compensação, "pedimos respeitosamente a você que reduza suas visitas até que o assunto se resolva favoravelmente para nossa área", escreveram os congressistas a Trump.