Palmeiras x Fluminense: Raphael Veiga decide, mas VAR rouba a cena e gera reclamações

Marcello Neves
·2 minuto de leitura

O Fluminense teve uma oportunidade única em suas mãos: vencer um adversário direto na luta por uma vaga na Libertadores com 12 desfalques e conseguir a primeira vitória no Allianz Parque na história. Mas o Palmeiras tinha outros planos. Com colaboração decisiva — e polêmica — do árbitro de vídeo e brilho de Raphael Veiga, os paulistas construíram o placar de 2 a 0 e emplacaram a oitava vitória seguida no Campeonato Brasileiro.

O resultado é péssimo para o Tricolor que, com as vitórias de Grêmio e Santos na rodada, caiu para a oitava colocação e deixou a zona de classificação para a a Libertadores. O próximo compromisso é contra o Internacional, no próximo domingo, às 18h15 (de Brasília), no Beira Rio.

Antes mesmo de a bola rolar, Odair Hellmann teve um grande problema para resolver: Fred sentiu o tornozelo direito durante o aquecimento e foi substituído por Felippe Cardoso. De modo geral, a partida foi equilibrada pela eficiência tática das duas equipes — o Palmeiras pressionava nas subidas de Gustavo Scarpa como lateral-esquerdo e o Fluminense apostava nos contra-ataques.

Mas a tática ficou de lado quando o árbitro de vídeo decidiu a partida. Na primeira aparição, Luccas Claro teve um gol corretamente anulado pela ferramenta. No lance, Hudson desviou de cabeça e o zagueiro marcou para o Fluminense adiantado.

A polêmica do VAR veio no segundo tempo ao marcar um polêmico pênalti para o Palmeiras. Lucas Lima finalizou e a bola explodiu em Wellington Silva dentro da área. Leandro Pedro Vuaden entendeu que o atacante estava com o braço aberto, o que é inconclusivo com as imagens, e sinalizou o pênalti.

Raphael Veiga cobrou e marcou para abrir o placar. Minutos depois, o meio-campista também aproveitou um bom cruzamento de Scarpa para marcar o segundo, já com o Fluminense abatido. Neste lance, nov reclamação da equipe tricolor ao VAR: Zé Rafael estava na frente de Muriel e os tricolores reclamaram que ele teria atrapalhado o goleiro para tentar a defesa. Porém, Hudson dava condições no lance. Ou seja, gol legal.

Então, o Palmeiras crescer e esteve mais perto do terceiro, mas parou em Muriel, do que o Tricolor do primeiro. Para os Alviverdes, deu tempo de ver Breno Lopes, que estreou antes mesmo de ser apresentado oficialmente. Aos Tricolores, restou reclamar da arbitragem e do árbitro de vídeo.