Palocci diz à Justiça que Lula editou medida provisória para beneficiar o filho

Equipe HuffPost
Ex-ministro de Lula, Antonio Palocci prestou depoimento como testemunha de acusação na Operação Zelotes.

O ex-ministro Antonio Palocci afirmou nesta quinta-feira (6) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvaatuou para beneficiar o filho caçula, Luís Cláudio Lula da Silva, na edição de uma medida provisória.

Palocci disse que recebeu o filho do ex-presidente em seu escritório de consultoria no fim de 2013 e início de 2014. Luís Cláudio organizava na época um campeonato de futebol americano no Brasil e pediu apoio. A despesa era em torno de R$ 2 e R$ 3 milhões.

O ex-ministro disse que foi, então, consultar o ex-presidente sobre o caso e Lula disse que não precisava ajudar porque ele já tinha resolvido. A solução, segundo Palocci, foi um acordo com Mauro Marcondes Machado, que fazia lobby pela renovação de uma medida que beneficiou o setor automobilístico.

Luís Cláudio, por meio de uma de suas empresas, recebeu cerca de R$ 2,5 milhões do lobista. As montadoras conseguiram incentivos fiscais com o governo duas vezes, com a edição da MP em 2009 e, depois, com a renovação em 2013.

A acusação foi feita em depoimento prestado na Justiça Federal de São Paulo, por videoconferência. Palocci é testemunha de acusação no processo da Operação Zelotes, a qual Lula é réu por corrupção passiva.

Também nesta quinta-feira, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso deve prestar depoimento como testemunha de defesa no mesmo caso.

LEIA MAIS

Continue a ler no HuffPost