Pandemia de coronavírus muda velórios no Rio, e prefeitura impõe novas regras

Despedida rápida, com caixão fechado e número de familiares restrito são algumas das mudanças

RIO - O coronavírus mudou a rotina e até os momentos de despedida. A prefeitura publicou um decreto, nesta quarta-feira, em que estabelece uma série de regras para sepultamentos no município. As novas medidas devem ser seguidas pelos profissionais envolvidos em qualquer etapa do serviço funerário e pelas famílias. Entre as restrições, o sepultamento deve ser acompanhado por no máximo seis familiares e os caixões e urnas devem estar vedados.

O protocolo de cuidados não se restringe a casos em que há suspeita ou que foi confirmada a contaminação pela Covid-19. Os profissionais envolvidos na preparação dos corpos devem contar com equipamentos de proteção individual (EPIs) e estão proibidos de realizar serviços como maquiagem e embalsamento. As urnas devem ser limpas com álcool 70% ou produto equivalente a fim de evitar qualquer tipo de contágio. O documento destaca que as novas regras são válidas enquanto durar a pandemia de coronavírus.

Veja o que foi definido:

Os velórios, quando possível, devem ser dispensados e o número de pessoas para acompanhar o sepultamento fica restrito a seis membros da famíliaCaso sejam realizadas as cerimônias, estão restritas à uma hora de duração e somente podem ser feitas em espaços ao ar livreO caixão deve permanecer fechado todo o tempoNos cemitérios e crematórios, o público deve ter acesso a álcool 70% para a higienização, em especial das mãosAs pessoas dos grupos mais vulneráveis (crianças, idosos, grávidas e pessoas com imunossupressão ou com doença crônica), não devem participar dos funerais

Solidão na hora da despedida: coronavírus impõe isolamento até no luto e muda a rotina em cemitérios

Os óbitos suspeitos ou em decorrência da Covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa deve, de preferência, ser cremado, salvo os casos de uso de marca-passo ou bombas de infusão ou por motivos de preceitos religiososOs ambientes do cemitério ou do crematório por onde a urna passou devem ser desinfectadosEstão proibidos os serviços de embalsamamento e de maquiagem em todos os corposA equipe de concessionárias e permissionárias de serviços funerários e os responsáveis pelo funeral devem ser informados sobre o risco de contaminação para que sejam tomadas medidas adequadasOs corpos só poderão ser recebidos pela agência funerária em saco impermeável à prova de vazamento e seladoA urna funerária deve ser limpa externamente com álcool líquido a 70% ou outro desinfetante adequado antes de ser levado para o local do velórioOs funcionários de cemitérios ou crematórios devem estar equipados com luvas, avental impermeável e máscara cirúrgica. Os materiais, caso não sejam descartáveis, devem ser desinfectadosEm cemitérios e crematórios, as urnas devem ser recebidas e higienizadas em área isolada, ao ar livre e com banheiro