Pandemia de coronavírus no mundo neste sábado

·2 minuto de leitura
Homem usando máscara de proteção tem a temperatura verificada na entrada da mesquita de Nizamiye, em Midrand, Joanesburgo, em 5 de junho de 2020

A pandemia do coronavírus provocou ao menos 2.384.059 mortes no mundo desde que o escritório da OMS na China notificou a aparição da doença em dezembro de 2019, segundo um balanço estabelecido pela AFP neste sábado às 08h00 (horário de Brasília) com base em fontes oficiais.

Desde o início da epidemia, mais de 108.151.590 pessoas contraíram a doença. Delas, ao menos 66.091.900 se recuperaram, segundo as autoridades.

Os números são baseados nos boletins comunicados diariamente pelas autoridades de saúde de cada país e excluem as correções realizadas posteriormente pelos diferentes organismos, como na Rússia, Espanha e Reino Unido.

Na sexta-feira, foram registradas no mundo 15.207 novas mortes e 430.246 contágios. Os países que registraram mais mortes segundo os últimos balanços oficiais são Estados Unidos com 5.527 (número elevado devido aos dados anteriores não contabilizados), México (1.323) e Brasil (1.288).

A quantidade de mortos nos Estados Unidos chega a 480.902, com 27.492.413 casos. Depois dos Estados Unidos, os países com mais vítimas mortais são Brasil, com 237.489 mortos e 9.765.455 casos, México, com 172.557 mortos (1.978.954 casos), Índia com 155.550 mortos (10.892.746 casos), e Reino Unido com 116.287 mortos (4.013.799 casos).

Entre os países mais afetados, a Bélgica registra a maior taxa de mortalidade, com 186 mortes a cada 100.000 habitantes, seguida pela Eslovênia (178), Reino Unido (171), República Tcheca (169) e Itália (154).

Neste sábado às 08h00 de Brasília e desde o início da epidemia, a Europa soma 799.198 óbitos (35.364.488 contágios), América Latina e Caribe 635.834 (20.021.361), Estados Unidos e Canadá 502.064 (28.312.719), Ásia 247.725 (15.638.451), Oriente Médio 100.471 (5.051.452), África 97.821 (3.731.259) e Oceania 946 (31.862).

Desde o início da pandemia, a quantidade de testes realizados aumentou consideravelmente e as técnicas de rastreamento melhoraram, provocando um aumento nos casos declarados.

No entanto, a quantidade de casos diagnosticados reflete apenas uma parte do total de contágios, os casos menos graves ou assintomáticos continuam sem ser detectados.

Este balanço foi realizado com dados das autoridades nacionais coletados pelos escritórios da AFP e com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Devido às correções das autoridades ou à publicação tardia dos dados, o aumento dos números publicados em 24 horas pode não corresponder exatamente com os números do dia anterior.

bur-meh/me/aa