Pandemia de Covid aumentou taxas de mortalidade materna e natimortos, diz estudo

·2 minuto de leitura

(Reuters) - As taxas de natimortos e mortes maternas aumentaram em cerca de um terço durante a pandemia de Covid-19, com os desfechos de gravidez piorando para bebês e mães em todo o mundo, segundo uma análise internacional publicada nesta quarta-feira.

Ao reunir dados de 40 estudos em 17 países, a análise concluiu que lockdowns, interrupção dos serviços de maternidade e medo de visitar unidades de saúde elevam riscos na gravidez, levando a resultados geralmente piores para mulheres e bebês.

"A pandemia de Covid-19 teve um impacto profundo nos sistemas de saúde", disse a professora Asma Khalil, que coliderou a pesquisa na Universidade St George de Londres. "A perturbação causada ... levou a mortes evitáveis ​​de mães e bebês, especialmente em países de baixa e média renda."

Publicada na revista Lancet Global Health, a análise encontrou um aumento geral nos riscos de natimortos e morte materna durante a pandemia, e descobriu que o impacto nos países mais pobres foi desproporcionalmente maior.

Também mostrou danos significativos à saúde mental materna. Dos 10 estudos incluídos na análise que relataram a saúde mental materna, seis apontaram um aumento na depressão pós-parto, ansiedade materna ou ambos.

O estudo não analisou o impacto direto da infecção por Covid-19 durante a gravidez, mas foi projetado para examinar o impacto colateral da pandemia de coronavírus nos pré-natais, nascimentos e pós-natais.

Ao comentar as conclusões, Jogender Kumar, do Instituto de Pós-Graduação em Educação e Pesquisa Médica da Índia, disse que elas destacaram disparidades preocupantes na área de saúde.

"Em países com poucos recursos, mesmo em circunstâncias normais, é um desafio fornecer cobertura adequada para exames pré-natais, emergências obstétricas, partos institucionais e cuidados de maternidade respeitosos", escreveu ele. "A pandemia de Covid-19 ampliou essa lacuna."

(Reportagem de Kate Kelland)