Pandemia faz buscas por UTI no Google dispararem

DIANA YUKARI E FLÁVIA FARIA
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O interesse em buscas no Google por UTI disparou no mês de abril em todo o país e chegou a sete vezes o volume registrado no mês de março. O aumento é registrado na esteira do crescimento de mortes por coronavírus e da lotação de leitos hospitalares em diversos estados. O pico foi registrado no dia 17 de abril, quando os mortos atingiram recorde diário até então e passaram a marca de 2.000. Hoje, são mais de 5.000. O levantamento feito pela empresa na plataforma Google Trends considera o período de 1º a 25 de cada mês e mede o volume de buscas em uma escala de 0 a 100, em que 100 representa o ponto máximo de interesse. O Google não fornece dados absolutos do número de pesquisas. Os dois estados com mais buscas foram o Piauí e o Ceará -este último enfrenta cenário de lotação de UTIs há cerca de duas semanas. Já as pesquisas pelo termo hospital caíram em abril. A exceção é o estado do Amazonas, que teve maior volume neste mês. Manaus foi a capital que primeiro se deparou com o colapso do sistema de saúde. Vídeos de corpos ao lado de pacientes em hospitais começaram a circular nas redes sociais no dia 16. Desde então, a prefeitura precisou contratar containers frigoríficos para armazenar cadáveres e abrir valas comuns nos cemitérios para atender ao crescimento repentino de enterros. O Amazonas tem a maior taxa de mortes em relação à população no país: são 9,2 óbitos a cada 100 mil habitantes, segundo o Ministério da Saúde. O Google também registrou aumento nas buscas por coronavírus em estados do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste, enquanto no Sul e no Sudeste o maior interesse aconteceu no início da epidemia no país, em março. O primeiro caso da Covid-19 foi registrado em São Paulo, em 26 de fevereiro. De início, a epidemia se concentrou no estado e no Rio de Janeiro, disseminando-se gradativamente pelo restante do país. Os dois estados também foram os primeiros a anunciar medidas de isolamento e restrição ao funcionamento do comércio e serviços. O maior aumento (27%) no volume de buscas relacionadas à doença em abril ocorreu no Maranhão e no Pará. Na quarta (29), São Luís teve 100% dos leitos de UTI reservados para tratamento da Covid-19 ocupados. O governador Flávio Dino (PC do B) tinha dito que lançaria na próxima semana decreto endurecendo as regras de isolamento social na capital --o lockdown na capital começa no dia 5. Já Belém tem quadro de lotação das unidades de terapia intensiva desde a semana passada. O governador do estado, Helder Barbalho (MDB), foi diagnosticado com a doença. Também houve aumento de buscas por "quarentena" em estados que anunciaram flexibilização de regras ou plano para posteriormente iniciar a retomada das atividades normais, como SP e SC. As buscas por "fim da quarentena", por sua vez, foram cinco vezes maiores do que no mês de março.