Pandemia faz profissional da música virar escritor de prosa e poesia

O Globo
·2 minuto de leitura

RIO — Empresário e produtor artístico, com mais de 20 anos de atuação no mercado, Marcelo Reis já trabalhou com nomes como os grupos Blitz e A Cor do Som, além de artistas como George Israel e Jay Vaquer. Com a pandemia e a paralisação de muitas das atividades de entretenimento, Reis se isolou em sua casa na Gávea e começou a trilhar novos caminhos. Ele conta que mergulhou profundamente em um processo de reinvenção e de busca por novas atividades, o que acabou culminando com seu reencontro com a poesia e a prosa.

Das horas a mais ganhas a partir da suspensão de turnês nacionais e internacionais nasceram “V” e “Contos de janeiro”, ambos recém-lançados na rede social mundial de leitores e escritores Wattpad.

Reis explica que a primeira obra é uma compilação de cinco poesias que trazem como mensagem a representação da liberdade e do espírito, além da busca por mudanças e novos caminhos traduzida em uma revolução de sentimentos que revelam leveza e pesar, vida e morte, amor e dor.

—Duas delas foram adaptadas pelos compositores George Israel e Guilherme Schwab e viraram canções que ainda serão lançadas — diz Reis.

Já o livro “Contos de janeiro” é uma série composta por seis contos, todos passados no mês de janeiro. Nas histórias, há personagens do passado, do presente e do futuro. A cada mês, o autor publicará um conto novo; e o primeiro, “O homem que nasceu azul”, em menos de uma semana já atingiu o primeiro lugar no ranking Surrealismo da plataforma e caminha para os primeiros lugares também no ranking Reflexão.

—Vejo “O homem que nasceu azul” como um retrato bem fiel do preconceito e do extremismo que permeiam a sociedade contemporânea. Apesar dos elementos de suspense e de acontecimentos à la Tarantino, a ficção se aproxima da realidade atual, e a narrativa é uma grande crítica à classe média, à nossa organização social e ao nosso medo do novo — diz o autor.

O livro está disponível por meio do link www.wattpad.com/story/257111001-contos-de-janeiro.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)