Pandemia registra mais de 400.000 casos na América Latina e Caribe (contagem AFP)

Coveiro prepara tumbas para vítimas de COVID-19, no Cemitério Municipal de Tijuana, no México, em 12 de maio de 2020

América Latina e Caribe passaram dos 400.000 casos de contágio pelo novo coronavírus, que já causou a morte de 23.091 pessoas na região - conforme contagem da AFP baseada em dados oficiais.

No total, até as 4h (horário de Brasília) desta quarta-feira (13), a região somava 402.764 casos de contágio. O Brasil é o país mais atingido, com quase metade dos casos da América Latina e Caribe.

Até agora, as autoridades brasileiras registraram 177.589 infectados e 12.400 mortos. Nos últimos quatro dias, o país registrou uma média semanal de mais de 8.000 casos diários do novo coronavírus, segundo balanço da AFP.

O segundo país com mais casos é o Peru, que registrou 72.057 infecções e 2.057 mortes. O México é o terceiro país da região com mais casos, 38.324, e o segundo em número de óbitos por COVID-19, com 3.926. O Chile tem 31.721 casos e 335 mortes.

No Equador, as autoridades revisaram o número de contágios para baixo nos últimos dias, para eliminar dados duplicados. Com isso, o número de infecções chega a 30.419. Já o número de mortos aumentou, e agora está em 2.327.

Os outros países com mais casos registrados são Colômbia, com 11.063 e 463 mortes, República Dominicana (10.900 e 402), Panamá (8.783 e 252) e Argentina (6.550 e 319).

O número de casos positivos diagnosticados reflete apenas uma parte do número total de infecções, devido às diferentes políticas adotadas por cada país para diagnosticar infecções. Alguns contabilizam somente os que precisaram de internação.

No mundo todo, mais de 4,2 milhões de pessoas foram infectadas com o novo coronavírus, que apareceu na China no final de 2019. Destas, mais de 290.000 morreram com a doença, e mais de 1,4 milhão se recuperaram.