Entenda por que aumentou procura por diamantes criados em laboratório

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Diamante. Agora também de laboratórios. (Foto: Getty Images)
Diamante. Agora também de laboratórios. (Foto: Getty Images)
  • Pandora passará a vender apenas diamantes criados em laboratório.

  • Método é mais sustentável, segundo a empresa.

  • Produção global também caiu com pandemia do novo coronavírus.

A gigante Pandora, maior joalharia do mundo, anunciou que deixará de vender diamantes extraídos de mineração, e passará a vender apenas pedras criadas em laboratório.

Leia também:

As informações são de reportagem da rede de notícias BBC.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Segundo a empresa, o movimento se dá principalmente por conta de preocupações com os impactos ambientais da mineração, e também das condições de trabalho nessa indústria – conhecidas por serem precárias, com a exposição de seus trabalhadores a riscos e situações insalubres.

A Pandora afirma que esses fatores têm feito aumentar, nos últimos anos, a demanda por soluções mais sustentáveis – entram aí os diamantes criados em laboratório.

A boa notícia é que os diamantes criados em laboratório são também mais baratos, segundo a empresa. Eles tendem a custar cerca de 1 terço do preço de um diamante extraído da terra.

A crise do coronavírus também foi um fator determinante na decisão da Pandora: no ano passado, a De Beers, uma das maiores produtoras de diamantes do mundo, viu sua produção cair 18%, segundo a BBC.

A nova linha de joias com diamantes da Pandora têm preço de entrada na faixa de R$ 1,9 mil.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube