Panelaços contra Bolsonaro acontecem em várias cidades do país

Pedro Medeiros*
Bolsonaro sando uma máscara durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto

RIO — Pelo segundo dia consecutivo, o presidente Jair Bolsonaro foi alvo de panelaços em várias cidades do país. Os protestos foram registrados em vídeos nas redes sociais no Rio, Niterói (RJ), São Paulo, Santos (SP), Brasília e Salvador.

Em diversos bairros da Zona Sul do Rio, como Copacabana, Leblon, Botafogo, Laranjeiras, Jardim Botânico e Vidigal, houve registro de protesto contra o presidente. Na zona norte, Tijuca, Andaraí, Rio Comprido, Méier e Del Castilho também registraram panelaço.

Na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade, o protesto durou onze minutos ininterrupitos aos gritos de "Ele Não" e pedindo a saída de Bolsonaro.

Desde a tarde de quarta-feira, quando Bolsonaro e mais oito ministros deram uma coletiva sobre as ações contra a pandemia do novo coronavírus, jos protestos já eram ouvidos em Copacabana.

Em São Paulo, o panelaço contra Bolsonaro foi registrado em vários pontos da periferia e dos bairros nobres, como Pinheiros, Jardins, Consolação, Bela Vista, Vila Romana e Sumaré. Aos gritos de assassino, miliciano e "fora bolsonaro", manifestantes bateram panelas das janelas dos prédios. Os manifestantes também gritaram diversas vezes 'quem matou Marielle'. O protesto na capital de SP durou cerca de 40 minutos.

Em Brasília, houve protestos em vários pontos da Asa Norte e da Asa Sul, além de no Noroeste e nas cidades satélites Águas Claras e Guará.

*Estagiário sob supervisão de Madalena Romeo