PANORAMA ELEITORAL-TSE faz simulação de novo teste de integridade das urnas e Datafolha divulga pesquisa

Urna eletrônica é vista em seção eleitoral em Brasília nas eleições de 2018

(Reuters) - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realiza na manhã desta quinta-feira uma simulação do projeto-piloto com biometria no teste de integridade das urnas eletrônicas, em mais um dia de expectativas em torno da nova rodada do Datafolha.

Contratada pela Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo, a pesquisa deve ser divulgada esta noite. O último levantamento do instituto, divulgado sexta-feira passada, mostrou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 45% contra 34% do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Do lado da campanha dos líderes da disputa, Lula vai ao norte de Minas Gerais para fazer um comício em Montes Claros no início da noite. Pesquisa Genial/Quaest divulgada na última sexta-feira mostrou o petista com 43% das intenções de voto para o primeiro turno, contra 36% do presidente, que tenta a reeleição.

Já Bolsonaro realiza sua tradicional live semanal e tem previsão de participar à noite de culto da Igreja da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, no Rio de Janeiro, além de agenda oficial à tarde em Brasília.

Pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quinta-feira mostrou Bolsonaro numericamente à frente de Lula no Estado do Rio de Janeiro: 40% a 36%.

Veja abaixo destaques do cenário eleitoral.

TESTE DO TESTE

Após insistência do Ministério da Defesa, o TSE acatou a sugestão dos militares de adotar a etapa de biometria em teste de integridade das urnas eletrônicas, em forma de um projeto-piloto. Nesta quinta, o tribunal fará uma simulação do procedimento.

O novo teste de integridade ocorrerá com a participação de eleitores voluntários que, após votar no dia do pleito, serão convidados a participar da iniciativa em local adjacente ao da votação. A novidade do projeto-piloto será o emprego de biometria de eleitores voluntários convidados no local de votação.

Giuseppe Janino, conhecido como "pai das urnas eletrônicas", afirmou à Reuters considerar um risco a implementação de um novo teste tão perto da votação.

"Qualquer modificação, principalmente a 20 dias das eleições, seria totalmente temerária porque não haveria a verificação, a exercitação desses procedimentos, recursos de software, de treinamento de pessoas que iriam atuar", disse Janino, que foi por 15 anos secretário de Tecnologia da Informação do TSE, cargo que deixou em maio do ano passado.

Para o ex-chefe de tecnologia do TSE, a forma como esse passo a passo vai ser implementado e comunicado vai ser determinante para ter efeitos positivos, como o aumento da transparência do processo eleitoral.

BOLSONARO RECLAMA DO QUE CHAMA DE INTERFERÊNCIA DO TSE

Na quarta-feira, Bolsonaro reclamou da decisão dos ministros do TSE que proibiu o uso de imagens das comemorações do 7 de Setembro na sua campanha classificando que isso seria uma "interferência" em seu governo.

O candidato à reeleição argumentou que as imagens dos atos, que para a Justiça Eleitoral foram desvirtuados e perderam seu caráter institucional para assumirem ar eleitoral, já circulam pelo país e até mesmo fora dele.

"Essa propaganda proibida pelo TSE agora, repito, mais uma inteferência. Uma imagem linda dessa multidão na Esplanada dos Ministérios, na (Avenida) Paulista, em Copacabana, em vários locais do Brasil, saudando 200 anos da nossa Independência, saudando o seu presidente da República e dizendo 'sim, queremos continuar e vamos continuar acreditando em nosso país'", disse o presidente em entrevista à CNN Brasil, ao reclamar que "cada vez mais" são tomadas ações na Justiça para "prejudicar o governo a mostrar o seu trabalho".

PRÓXIMAS PESQUISAS ELEITORAIS

Datafolha - 15 de setembro, quinta-feira

CNT/MDA - 16 de setembro, sexta-feira

Ipespe - 17 de setembro, sábado

BTG/FSB - 19 de setembro, segunda-feira

Ipec - 19 de setembro, segunda-feira

AtlasIntel - 20 de setembro, terça-feira

ÚLTIMAS PESQUISAS DIVULGADAS

GENIAL/QUAEST

Divulgada em 14 de setembro

Margem de erro de 2 pontos percentuais

1º turno:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) - 42%

Jair Bolsonaro (PL) - 34%

Ciro Gomes (PDT) - 7%

Simone Tebet (MDB) - 4%

Outros - 2%

Brancos e nulos - 5%

Não sabem - 6%

2º turno:

Lula (PT) - 48%

Bolsonaro (PL) - 40%

PODERDATA

Divulgada em 14 de setembro

Margem de erro de 2 pontos percentuais

1º turno:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) - 43%

Jair Bolsonaro (PL) - 37%

Ciro Gomes (PDT) - 8%

Simone Tebet (MDB) - 5%

Outros - 1%

Brancos e nulos - 3%

Não sabem - 2%

2º turno:

Lula (PT) - 51%

Bolsonaro (PL) - 42%

IPEC

Divulgada em 12 de setembro

Margem de erro de 2 pontos percentuais

1º turno:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) - 46%

Jair Bolsonaro (PL) - 31%

Ciro Gomes (PDT) - 7%

Simone Tebet (MDB) - 4%

Outros - 2%

Brancos e nulos - 6%

Não sabem - 4%

2º turno:

Lula (PT) - 53%

Bolsonaro (PL) - 36%

BTG/FSB

Divulgada em 12 de setembro

Margem de erro de 2 pontos percentuais

1º turno:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) - 41%

Jair Bolsonaro (PL) - 35%

Ciro Gomes (PDT) - 9%

Simone Tebet (MDB) - 7%

Outros - 3%

Branco/nulo/nenhum - 5%

Não sabem/não responderam - 1%

2º turno:

Lula (PT) - 51%

Bolsonaro (PL) - 38%

IPESPE

Divulgada em 10 de setembro

Margem de erro de 3 pontos percentuais

1º turno:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) - 44%

Jair Bolsonaro (PL) - 36%

Ciro Gomes (PDT) - 8%

Simone Tebet (MDB) - 5%

Outros - 2%

Brancos, nulos - 3%

Não sabem - 2%

2º turno:

Lula (PT) - 52%

Bolsonaro (PL) - 39%

DATAFOLHA

Divulgada em 9 de setembro

Margem de erro de 2 pontos percentuais

1º turno:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) - 45%

Jair Bolsonaro (PL) - 34%

Ciro Gomes (PDT) - 7%

Simone Tebet (MDB) - 5%

Outros - 1%

Brancos, nulos - 4%

Não sabem - 3%

2º turno:

Lula (PT) - 53%

Bolsonaro (PL) - 39%

XP/IPESPE

Divulgada em 31 de agosto

Margem de erro de 2,2 pontos percentuais

1º turno:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) - 43%

Jair Bolsonaro (PL) - 35%

Ciro Gomes (PDT) - 9%

Simone Tebet (MDB) - 5%

Outros - 1%

Brancos e nulos - 4%

Não sabem - 2%

2º turno:

Lula (PT) - 53%

Bolsonaro (PL) - 38%

CNT/MDA

Divulgada em 30 de agosto

Margem de erro de 2,2 pontos percentuais

1º turno:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) - 42,3%

Jair Bolsonaro (PL) - 34,1%

Ciro Gomes (PDT) - 7,3%

Simone Tebet (MDB) - 2,3%

Outros - 1,1%

Brancos e nulos - 5%

Não sabem - 7,8%

2º turno:

Lula (PT) - 50,1%

Bolsonaro (PL) - 38,8%

ATLASINTEL

Divulgada em 25 de agosto

Margem de erro de 1 ponto percentual

1º turno:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) - 46,7%

Jair Bolsonaro (PL) - 38,3%

Ciro Gomes (PDT) - 6,4%

Simone Tebet (MDB) - 3,6%

Outros - 3,1%

Branco/nulo/indecisos - 1,9%

2º turno:

Lula (PT) - 51,8%

Bolsonaro (PL) - 40,8%

(Por Alexandre Caverni e Fernando Cardoso)