Pantanal perdeu 74% da água desde 1985, diz estudo

·1 minuto de leitura
A couple of Quati drinks water in one of the lakes that still resides on the banks of the Transpantaneira Highway on September 22, 2020, in the city of Pocone, state of Mato Grosso, Brazil. Volunteers leave food at strategic points every day. Pantanal is experiencing the worst climate crisis of the past 50 years. (Photo by Ernesto Carrico/NurPhoto via Getty Images)
Segundo os dados do MapBiomas Água, há tendência de queda de água está em 8 das 12 regiões hidrográficas
  • Para pesquisadores, Brasil está 'secando'

  • O pico de superfície de água aconteceu em 1991

  • Segundo o documento, até 2020, o país perdeu 15,7% da superfície de água que tinha

O Brasil vem ficando mais seco desde 1991. É o que constata um estudo do MapBiomas Água. Segundo o documento, até 2020, o país perdeu 15,7% da superfície que tinha.

Segundo informações da Folha de S.Paulo, todos os biomas tiveram perdas, mas a situação é mais dramática no Pantanal, com redução de 74% da água.

Com o auxílio de inteligência artificial, pesquisadores mapearam a dinâmica dos corpos d’água do Brasil desde 1985. “O Brasil está secando. É impressionante”, falou Tasso Azevedo, coordenador do MapBiomas.

Os dados chocaram tanto que os pesquisadores do MapBiomas repetiram várias vezes as verificações dos modelos para confirmar o que estavam vendo.

Segundo os dados do MapBiomas Água, há tendência de queda de água em 8 das 12 regiões hidrográficas. O pico de superfície de água aconteceu em 1991 e, desde então, ficou clara a tendência de perda. Desde o período analisado, a partir de 1985, a redução ficou na casa de 7,6%.

Na Amazônia, a perda é de 13%. Na caatinga, a queda da superfície de água ficou em 15%. Cerrado, 5,5%. Na Mata Atlântica, 4,6%, todos com base na referência do pico de 1991.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos