Papa adia visita ao Líbano por motivos de saúde

Papa Francisco usa cadeira de rodas após operação no cólon no último verão, mas esta foi a primeira vez que ele foi fotografado usando uma em evento aberto à mídia (AFP/Alberto PIZZOLI) (Alberto PIZZOLI)

O papa Francisco adiou sua visita ao Líbano, inicialmente marcada para junho, por motivos de saúde, anunciou o ministro do Turismo libanês, Walid Nassar, nesta segunda-feira (9).

"O Líbano recebeu uma carta do Vaticano informando oficialmente a decisão de adiar a visita planejada do papa ao Líbano", disse Nassar em um comunicado, citando "razões de saúde".

As "visitas ao exterior [...] foram adiadas por motivos de saúde", acrescentou.

A presidência libanesa anunciou em abril que havia sido informada da visita do papa Francisco ao Líbano em junho, sem que o Vaticano tivesse confirmado a viagem.

Por sua vez, a sala de imprensa da Santa Sé confirmou que "este projeto de viagem previsto não havia se materializado", sem dar uma razão, apesar de ter detalhado que o papa seguia com "a firme intenção" de ir ao Líbano em uma data posterior.

Ademais, as visitas de Francisco à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul, prevista para entre 2 e 7 de julho, estão mantidas, garantiu à AFP uma fonte vaticana.

Francisco também manifestou, em abril, seu desejo de visitar o Canadá no fim de julho para expressar sua "proximidade" com os povos indígenas, no contexto dos casos de abusos em internatos católicos ocorridos no país norte-americano.

Francisco, de 85 anos, sente dores no joelho e foi visto pela primeira vez em uma cadeira de rodas em um evento público na semana passada.

O pontífice também sofre com dores no quadril, que o fazem mancar, e foi submetido a uma delicada operação no cólon em julho de 2021, após a qual também teve que usar uma cadeira de rodas.

A visita do papa ao Líbano seria a terceira de um pontífice em exercício desde o fim da guerra civil em 1990.

O Líbano, que tem uma das maiores comunidades cristãs do Oriente Médio, está mergulhado em uma profunda crise econômica e social desde 2019, e mais de 80% da população vive abaixo da linha de pobreza, segundo a ONU.

Francisco enviou mensagens de apoio ao Líbano nos últimos meses e indicou sua intenção de visitar o país em várias ocasiões.

ho-cmk/mm/pc/mb/mr/rpr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos