Papa aprova canonização de Francisco e Jacinta, pastorinhos de Fátima

Cidade do Vaticano, 23 mar (EFE).- O papa Francisco aprovou nesta quinta-feira o decreto que reconhece o milagre pelo qual serão canonizados Francisco e Jacinta Marto, os irmãos pastores que, segundo a Igreja Católica, presenciaram as aparições da Virgem Maria em Fátima, Portugal.

A aprovação da canonização das duas crianças, que morreram pouco depois da aparições, entre maio e outubro de 1917, acontece dois meses antes da viagem do papa Francisco a Fátima para participar das comemorações do centenário das aparições.

Francisco (1908-1919) e Jacinta Marto (1910-1920), que junto com sua prima Lúcia, que foi freira e morreu em 2005, foram os protagonistas das aparições em Cova da Iria, foram beatificados em 13 de maio de 2000 por João Paulo II, em Fátima.

Por isso, Francisco poderia declará-los santos durante a missa que celebrará no dia 14 de maio, embora ainda não haja nada oficial.

As três crianças portuguesas asseguraram terem sido testemunhas das aparições de Nossa Senhora, que revelou os chamados três segredos de Fátima, divulgados por Lúcia, cujo processo de beatificação foi aberto pelo papa Bento XVI em 2008.

O primeiro segredo era a morte prematura de duas das crianças, e o segundo falava sobre o final da Primeira Guerra Mundial, o início da Segunda e o fim do comunismo.

A terceira parte, a que mais levantou especulações, foi revelada durante a última viagem de João Paulo II a Fátima, em 13 de maio de 2000, para beatificar Jacinta e Francisco.

O segredo previa o assassinato de um "bispo vestido de branco" enquanto atravessava uma grande cidade, o que a Igreja considera uma profecia do atentado sofrido por João Paulo II em 1981, quando foi baleado pelo terrorista turco Ali Agca. EFE