Papa condena mortes de padres jesuítas no México

Papa Francisco faz audiência geral semanal no Vaticano

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco condenou nesta quarta-feira o assassinato de dois padres jesuítas e um leigo no México, dizendo que foi um lembrete chocante do nível de violência no país.

"Tantos assassinatos no México", disse Francisco no final de sua audiência geral para milhares de pessoas na Praça de São Pedro.

A promotoria estadual de Chihuahua, na fronteira com os Estados Unidos, disse que três pessoas foram mortas na cidade de Cerocahui depois que um homem se refugiou em uma igreja para se proteger de um ataque.

Dois deles eram padres jesuítas, a mesma ordem religiosa à qual o papa pertence.

"Também expresso minha dor e choque pelo assassinato no México, anteontem, de dois irmãos religiosos meus, jesuítas, e um leigo", disse Francisco.

“Eu me junto em oração e afeição à comunidade católica atingida por esta tragédia. Mais uma vez repito que a violência não resolve problemas, mas aumenta episódios de sofrimento”, acrescentou.

Os corpos dos três foram levados por um grupo de homens na traseira de uma caminhonete, disse Luis Gerardo Moro, chefe dos jesuítas no México, em entrevista a uma rádio.

Os dois padres trabalhavam na igreja da pequena cidade na cadeia montanhosa de Sierra Tarahumara, lar do grupo indígena Raramuri e local de crescente violência de cartel.

(Reportagem de Philip Pullella)

REUTERS AC

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos